Pela primeira vez o volume de negociações da região chegou a US$ 100k em Bitcoins em uma semana através da plataforma descentralizada.

Os volumes de negociação da exchange de Bitcoin P2P LocalBitcoins na Arábia Saudita nunca foram tão altos. Pela primeira vez o volume de negociações da região chegou a US$ 100k em Bitcoins em uma semana através da plataforma descentralizada.

Segundo dados da Coin.Dance, volumes de negociação na semana passada subiram quase 3x em comparação à semana anterior, com mais de  400.000 Ryials (moeda local) em Bitcoin negociadas durante a semana que terminou em 15 de Abril, um novo recorde histórico.

Embora esses números sejam relativamente baixos se comparados a outros mercados, temos que notar que a Arábia Saudita ganhou sua primeira plataforma de negociação de Bitcoin no final de 2016.

A BitOasis, com sede em Dubai, que lançou seu serviço de carteiras e cambio de Bitcoin para todo o Oriente Médio e Norte da África. Os usuários podem negociar Bitcoin por moedas fiduciárias na BitOasis com uma taxa de 1%.

A blockchain faz sua parte

O aumento das negociações chega num momento em que uma serie de países do Golfo Pérsico estão explorando a tecnologia de blockchain e seus benefícios. Falando mais especificamente os Emirados Árabes, liderados por Dubai, tem planos grandiosos para a tecnologia, com pretensões de transferir toda a sua base administrativa para blockchains.

No início deste mês, o governo de Dubai assinou um memorando de entendimento com a empresa de tecnologia blockchain para implementar pagamentos em toda a cidade via blockchain. Esse sistema irá abranger entidades governamentais de 38 parceiras, instituições financeiras e Departamentos.

O cronograma de blockchain do emirado é liderado por sua iniciativa ‘Dubai: Estratégia Blockchain’. Lançada no ano passado, o esforço começou com o anúncio de que o governo local pretende transferir e manter todos os registros em uma blockchain, projeto que deverá ser concluído ate 2020.

Dubai tem também parceria com a IBM para explorar uma plataforma de financiamento do comércio blockchain e reforçar a sua posição como um importante polo comercial do mundo.

O vizinho Bahrain está pensando mais em “nível nacional”, em março, o país assinou um pacto com Singapura para estabelecer um ecossistema FinTech no país, com essa medida a nação buscar tornar-se um hub de inovação na região.

Já no Qatar, o maior banco nacional completou um projeto piloto de transferência de dinheiro baseado em blockchain que foi bem sucedido em toda a região e além.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *