6 criptomoedas que adotaram o  Segregated Witness

Foi exatamente há um mês a ativação do protocolo de Segregated Witness. Em toda a comunidade do Bitcoin existia uma grande expectativa sobre o que ocorreria após esse evento.

Publicado em 19 de abril de 2017 por

O Segregated Witness talvez seja um dos assuntos mais comentados e discutidos atualmente no mundo das criptomoedas, mas o protocolo não foi adotado apenas pela equipe desenvolvedora, o Bitcoin Core, mas também outras criptos adotaram o SegWit.

Em 14 de janeiro, o criador do Litecoin anunciou que estava adotando o SegWit para a criptomoeda conhecida como “prata digital” e que ele esperava que essa adoção servisse de inspiração para os usuários do Bitcoin.

Publicidade

Publicidade

Porem, o Litecoin não foi a única Altcoin a adotar o protocolo, abaixo enumeraremos todas as criptos que implementaram o SegWit.

Litecoin

ltc-logo-150x150-min

O código Segregated Witness foi disponibilizado para adoção no Litecoin em janeiro de 2017.

Publicidade

Publicidade

Nas palavras de Charlie Lee:

“Talvez alguém se pergunte por que eu estou acenando para o SegWit, pois o Litecoin não tem nenhum problema como o tamanho de seus blocos. Isso é verdade, mas o SegWit não é apenas uma solução quanto à escala. Eu diria mesmo que a escala é apenas um benefício lateral do SegWit. Em primeiro lugar, ele resolve o problema da plasticidade das transações, e isso permite que o protocolo da Lightning Network seja construído em cima da blockchain do Litecoin”, explicou ele um pouco antes lançar o protocolo.

A ativação de SegWit no Litecoin ocorreria depois que 75% dos mineiros sinalizassem suporte para a solução. Também seria necessário que esse nível de suporte fosse mantido por pelo menos 8064 blocos, ou aproximadamente duas semanas.

Esse limiar foi atingido em 12 de abril e, a partir da terça feira 18 de abril, o código iniciou sua ativação com pouco menos de 77%. No entanto, ainda existe o temor de que a moeda não consiga manter esse nível de suporte pelo necessário para ativar a solução de forma permanente.

A principal oposição vem da Antpool (uma divisão da Bitmain, muito conhecida por se opor ativamente ao SegWit para o Bitcoin). Ao mesmo tempo, na segunda-feira, 17 de abril, foi possível observar eventos bastante interessantes: como os usuários de Reddit perceberam, em algum momento Antpool extraiu inesperadamente vários blocos com suporte ao SegWit e então retornou ao modo anterior.

Além disso, em algum ponto, o hashrate da pool chinesa na rede do Litecoin aumentou agudamente e alcançou 20%. Dependendo do desenvolvimento dos acontecimentos e tendo em conta as capacidades de vários outros operadores, isso pode ser suficiente para bloquear os esforços dos outros mineiros.

C9nRu98XUAAHC60-1024x442-min

Groestlcoin

grs-150x150-min

Lançado em 2014, a Groestlcoin é provavelmente pouco conhecida pela grande maioria da comunidade cripto (ela esta em 129ª na lista de capitalização das criptomoedas, com de US$ 1,7 milhões acumulados até a data), mas ela foi a primeira Altcoin a ativar com sucesso o SegWit.

A Groostlcoin recebeu o apoio necessário de 95% do hash da rede Groostlcoin em janeiro de 2017, e depois de um tempo, a ativação da solução em si ocorreu. Mas a escala do projeto em si é insignificante e, portanto, a moeda criptográfica nunca enfrentou os mesmos problemas de escala que ameaçam a rede do Bitcoin.

O líder do projeto, Jackie, diz que para ele o SegWit é basicamente uma solução para os problemas de plasticidade das transações, o que, por sua vez, possibilita o uso de outras inovações como Lightning Network, TumbleBit e Mimblewimble.

No entanto, apesar da ativação bem-sucedida, o SegWit ainda é pouco usado na rede Groestlcoin. A moeda ainda não tem carteiras que suportam a solução e, a menos que a nova função seja testada propositadamente, a maioria das transações usam o formato antigo.

Prevê-se que até ao final do ano a situação mude: a atualização da nova versão Electrum da carteira Groestlcoin deverá ser concluída, e depois disso as transações SegWit estarão totalmente disponíveis.

Em qualquer caso, após a ativação do SegWit, a moeda mostrou um crescimento impressionante, que, aparentemente, foi um excelente presente para desenvolvedores e investidores.

grs-chart-min

Syscoin

sis150x150-min

Em 31 de março, o mercado descentralizado Syscoin anunciou o lançamento do Syscoin Core 2.1.3 com o SegWit totalmente ativado.

sys-min

Assim, levou um pouco menos de dois meses para concluir o processo de rede – a versão anterior do kernel Syscoin Core suportando os protocolos SegWit e Lightning Network foi lançado em 8 de fevereiro.

Em seguida, na mensagem da equipe Syscoin, foi observado que o maior pool de mineração da moeda é a F2pool, e assim que ela começar a produzir blocos SegWit, a rede SysCoin também estará pronta para aceitá-los.

Alem disso foram anunciadas negociações para que a pool chinesa BTCC unifique a mineração de Syscoin com a do Bitcoin.

A ativação do SegWit também afetou positivamente o preço da moeda, e até o momento a SySCoin está no 41º lugar na lista de capitalização das criptomoedas, com um total acumulado de US$ 16,3 milhões. Além disso, alguns analistas sugerem que o SysCoin poderia se tornar um dos melhores investimentos de 2017.

DigiByte

DigiByte-300x232-min

Outra altcoin que poderá se juntar em breve ao time dos adotantes do SegWit é a Digibyte, que já tem 70% do apoio necessário para a ativação do código, e de acordo com seus desenvolvedores já dentro dos próximos dias começará a mineração de blocos SegWit.

A DigiByte foi lançada em 2014 e, como descrita no Bitcointalk, ela é “uma moeda de criptografia descentralizada profissional e transparente que foi projetado para eliminar algumas fraquezas no Bitcoin & Litecoin”.

Como resultado, da ativação do SegWit, o preço da DigiByte nos últimos dias cresceu mais de 50% e a moeda subiu para o 54º lugar na lista de capitalização das criptomoedas com quase US$ 10 milhões.

dgb-chart-min

Monacoin

monacoin-300x300-150x150-min

A maioria dos fãs de moeda criptográfica vê a Monacoin apenas como mais uma moeda a passar pela tela do pc. No entanto, a moeda tem certa popularidade, principalmente no Japão, e os desenvolvedores estão trabalhando ativamente na melhoria do código.

A MonaCoin pode ser chamada de clone do Litecoin, e foi com essa moeda criptográfica que o código SegWit foi copiado. O necessário para iniciar a sinalização de seu apoio foi realizado em 08 de março, e em 15 de abril o limiar necessário de 75% foi atingido. O último evento nem foi esquecido pelo diretor de assuntos estratégicos da Blockstream, Samson Moe.

samsonmo-min

Vertcoin

vertcoin-300x300-150x150-min

Outra moeda de criptografia que pode ativar SegWit é a Vertcoin. Vale ressaltar que a tentativa inicial de integrar a decisão em fevereiro não foi inteiramente bem sucedida. Como resultado do erro, a cadeia foi dividida em duas blockchains.

O desenvolvedor da Vertcoin, sob a alcunha de etang600, no entanto, enfatiza que o problema surgiu precisamente por causa da implementação imprópria, e não tem nada a ver com o SegWit si.

Depois de algum tempo, a falha foi resolvida com sucesso, porem depois de um mês de suporte, o apoio ao SegWit não sinaliza mais de 40% dos 75% exigidos dos mineiros. Ao mesmo tempo, como etang600 admite um “misterioso” mineiro controla mais de 30% de todo o hash. Aparentemente, é ele que está retardando o processo de ativação.

O fato da Vertcoin também ter decidido seguir o caminho da ativação do SegWit é interessante por si só, porque não existe uma necessidade urgente para esta solução na moeda criptográfica.

vertcoin-sw-min

O SegWit, no entanto, ajudará a resolver a questão da plasticidade das transações, que pode ser relevante para qualquer moeda criptográfica. Em todo caso, pode ser uma experiência bastante interessante, assim como o próprio fato do SegWit estar presente em uma  grande variedade de criptomoedas.

 

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment