africa criptomoedas bitcoin

De acordo com os dados do Paxful, um importante mercado criptomonetário global, o interesse em Bitcoin e outras criptomoedas na África continuou a crescer em um ritmo rápido, apesar do colapso do mercado.

O apetite por criptomoedas na África está aumentando

África agora é responsável pelo maior número de novos assinantes do Paxful por mês. Esse mercado também relatou que o aumento do interesse não se limita apenas a uma cidade, estado ou país, mas é difundido em todo o continente.

De acordo com o portal, no ano passado, as transações na plataforma Paxful da África do Sul aumentaram em 25%, na Nigéria o aumento foi de 60% e em outras partes do continente ele chega a 100%. Para a África em geral, a Paxful percebeu um aumento de 225% em número total de usuários nos últimos 12 meses.

Demograficamente, a demanda por criptomoedas é caracterizada por um aumento acentuado entre pessoas na faixa etária de 18 a 30 anos.

Ray Youssef, o chefe executivo do Paxful, disse:

“A adoção do Bitcoin em todo o mundo reafirma nossa crença de que criptomoedas gradualmente se tornarão o mainstream do sistema financeiro. Como tem sido o caso com outras inovações tecnológicas, a África está liderando a revolução financeira peer-to-peer. Nosso objetivo é continuar a parceria com os consumidores para expandir o acesso ao sistema financeiro global”.

A razão para este aumento parece ser a ausência da escala e do tipo de infraestrutura bancária tradicional disponível no mundo desenvolvido, por causa da qual muitas partes do continente já se mudaram para sistemas móveis de pagamento. Isso está em um certo sentido empurrando a geração do milênio da África para as criptomoedas, que agora oferece a essas pessoas um acesso alternativo, conveniente e econômico ao sistema financeiro global.

Wei Zhou, CFO da Binance, compartilhou esse otimismo sobre a perspectiva de crescimento para o continente africano quando foi perguntado sobre a expansão da Binance na África.

“Muitos dos casos de uso para criptomoedas, tais como armazenamento de valor, remessas, tudo isso se encontra na África. Se pudermos aproveitar isso para construir um provedor de serviços financeiros no continente, isso seria incrível. Atualmente, apenas cerca de 15% da população nessa parte do mundo têm acesso a serviços bancários tradicionais”.

A África está certamente avançando na adoção de criptomoedas e parece que essa última vai crescer mais ainda, à medida que mais e mais pessoas se associam a ela na ausência da infraestrutura bancária tradicional.