A Comissão de Supervisão do Mercado Financeiro da França (AMF) incluiu 15 sites de empresas que atuam no campo do criptoinvestimento em sua "lista negra".

Policiais franceses acusaram um agente da Direção Geral de Segurança Interna da França (DGSI) de vender segredos de Estado. Para divulgação de informações sigilosas, o agente, cujo nome não foi divulgado e que foi detido na semana passada, foi pago em Bitcoins. Isso foi relatado pela CoinDesk, com referências à mídia local.

Vale ressaltar que o detento vendeu segredos de Estado não apenas para membros de um grupo criminoso organizado, como também para economistas. O agente também é suspeito de falsificar documentos administrativos. O serviço de imigração ilegal OCRIEST revelou pelo menos um grupo criminoso com o qual o suspeito colaborou.

Representantes da DGSI conseguiram rastrear o vendedor dos segredos do Estado e sua atividade na darknet graças ao código pessoal do agente. Além disso, o serviço secreto descobriu a origem das solicitações para arquivos secretos.

Informações sobre quanto o agente conseguiu ganhar em Bitcoins e quais foram os segredos vendidos por ele não foram divulgadas. O francês enfrenta até sete anos de prisão e uma multa de até 100 mil euros.