Além do Bitcoin: mercado de ações americano sofre queda histórica

Em janeiro, quando o mercado de moeda digital sofreu uma correção em larga escala – e que tem acelerado nos últimos dias – , muitos desses comerciantes e especialistas consideraram a situação atual uma confirmação de suas palavras. No entanto, os ursos conseguiram derrubar o mercado americano de ações também.  

Publicado em 7 de Fevereiro de 2018 por

Por muitas vezes, proeminentes representantes do sistema financeiro tradicional criticam o Bitcoin e outras criptomoedas por sua excessiva volatilidade, baixa liquidez e insegurança. Em janeiro, quando o mercado de moeda digital sofreu uma correção em larga escala – e que tem acelerado nos últimos dias – , muitos desses comerciantes e especialistas consideraram a situação atual uma confirmação de suas palavras. No entanto, os ursos conseguiram derrubar o mercado americano de ações também.  

Na segunda-feira, 5 de fevereiro, os índices americanos S&P500 e 7Dow Jones diminuíram em 4,1% e 4,6%, respectivamente. A perda de 1.175,21 pontos em apenas um dia tornou-se um recorde histórico negativo para o Dow Jones. As pessoas mais ricas do planeta perderam US$114 bilhões – o chefe da holding Berkshire Hathaway, Warren Buffett, que, coincidentemente, é um crítico do Bitcoin, foi quem mais sofreu por causa disso. Buffett, que, de acordo com a Bloomberg, é o terceiro homem mais rico do mundo, teve um prejuízo de cerca de US$5,1 bilhões, seguido pelo fundador do Facebook, Mark Zuckerberg (US$3,3 bilhões) e pelo CEO da Amazon, Jeff Bezos (US$3,6 bilhões).

Publicidade

Publicidade

Seguindo esse mesmo contexto, a capitalização do mercado das criptomoedas mostrou um exponencial colapso: caiu de US$390 bilhões para US$276 bilhões em apenas 34 horas.

Além do Bitcoin: mercado de ações americano sofre queda histórica. BTCSoul.com

O preço do Bitcoin permaneceu em US$6.048 por algum tempo, sendo que outros ativos também passaram por perdas equivalentes, incluindo Ethereum, Ripple e Cardano.

Publicidade

Publicidade

Especialistas estão convencidos de que, após um longo período de baixa volatilidade no mercado de ações e em meio a estatísticas macroeconômicas positivas dos EUA – o que pode implicar uma política mais agressiva da Reserva Federal sobre as taxas de juros – uma correção acentuada é um fenômeno natural. Além disso, a maioria dos analistas está confiante de que os bots comerciais que usam vários algoritmos de alta frequência agravaram artificialmente a tendência de baixa. Quanto ao mercado de criptomoedas, ele também estava precisndo de uma correção após o rali em dezembro, que foi usado pelos ursos, que exploram o histórico de notícias negativas para interceptar a iniciativa dos touros.

Os motivos que desencadearam o colapso do mercados de ações e de criptomoedas podem ser vários, contudo, há uma certa correlação entre o índice de volatilidade VIX, mais conhecido como o “índice de medo”, que aumentou em 115% na segunda-feira, e o preço do Bitcoin. Historicamente, quanto mais o VIX cresce, maior é a queda do preço do Bitcoin, o que indica uma proporcionalidade inversa. Vale ressaltar, porém, que este não é um axioma e não deve ser interpretado como uma recomendação comercial.

Na terça-feira, 6 de fevereiro, o mercado de ações começou a reconquistar posições com os principais índices mostrando dinâmicas positivas. O Dow Jones aumentou 0,21%, e o S&P500 cresceu em 0.11% a partir de 15:40 UTC. O Bitcoin também voltou à marca de US$7 mil, e a indústria congelou em antecipação aos resultados das audiências da SEC e da CFTC no Senado dos EUA. Um histórico de notícias positivas dos Estados Unidos pode servir como apoio para os esforços dos touros de iniciar o movimento ascendente. Caso contrário, provavelmente apenas um movimento corretivo para cima ocorrerá no mercado. 

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment