Análise Técnica: Pivôs – sinais de alta ou baixa para o investidor, movimentos comuns ou de reversão

No mercado de capitais, nem sempre as coisas saem como esperado. Mesmo estudando o máximo possível a respeito de um ativo e do cenário que o cerca, há sempre a possibilidade de surgir um evento inesperado ou mudança em alguma variável que o afete. Nesse sentido, o mercado hoje disponibiliza diversos recursos que nos ajudam, por exemplo, a minimizar os riscos.  

Publicado em 21 de outubro de 2018 por

Análise Técnica

Pivôs

Os pivôs são sinais muito importantes na análise técnica, pois eles validam movimento, sejam de alta ou baixa. Conhecer e entender a confirmação de um Pivô pode ajudar o investidor a não confundir movimento comuns com movimentos de reversão.

Pivô de Baixa – Sinal de fragilidade da demanda

Conceito

O Pivô de baixa ocorre quando o gráfico forma uma figura na qual o preço de um ativo supera o fundo anterior após o movimento de dois topos descendentes.

Observe na figura abaixo que há formação de um topo mais alto (topo anterior), seguida por fundo (fundo anterior). A partir de então, o preço para de subir de maneira menos vigorosa e não chega ao mesmo nível do primeiro topo, formando assim um segundo topo, dessa vez menor (topo ascendente). Depois, o preço volta a cair superando a mínima do primeiro fundo (fundo anterior). Quando essa sequência de movimentos acontece, temos a confirmação de um pivô de baixa como é possível observar na figura abaixo.

Análise Técnica: Pivôs - sinais de alta ou baixa para o investidor, movimentos comuns ou de reversão. BTCSoul.com

Um pivô de baixa pode vir após uma tendência de alta, indicando uma mudança de tendência ou pode ainda estar dentro de uma tendência de baixa confirmando mais uma vez a tendência. Vale ressaltar que um Pivô de baixa dentro de uma tendência de alta pode ser um pouco mais relevante, pois confirma uma mudança na tendência. Porém, em ambos os contextos o pivô de baixa merece atenção.

Pivô de Alta

Um pivô de alta ocorre quando o preço de um ativo supera o patamar do topo anterior após a formação de uma figura com dois fundos ascendentes.

Formação da Figura – Quando as cotações estão em movimento de queda e começam a subir há a formação de um fundo (fundo anterior). O valor do ativo sobe formando um topo (topo anterior), e volta a cair formando um novo fundo (fundo descendente). Esse novo fundo é formado em um patamar mais alto do que o anterior (fundo anterior). Se a cotação, a partir do fundo ascendente, subir de forma vigorosa e superar o topo anterior (topo anterior) há, então, a confirmação de um pivô de alta. Como na figura que se segue:

Análise Técnica: Pivôs - sinais de alta ou baixa para o investidor, movimentos comuns ou de reversão. BTCSoul.com

O Pivô de alta pode aparecer dentro de uma figura de baixa, marcada por topos e fundos descendente. Nesse caso, a formação de um pivô de alta indica reversão da tendência de baixa para uma tendência de alta. Além disso, o pivô de alta também pode estar dentro uma tendência de alta, indicando apenas a confirmação da tendência.

Quando o pivô de alta está dentro de uma figura de baixa, o seu peso pode ser um pouco maior por indicar a reversão de uma tendência. Contudo, em ambos os contextos o pivô de alta é uma importante ferramenta para análise técnica.

 

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment