Auroracoin a primeira criptomoeda da Islândia

O Auroracoin, primeira moeda da Islândia, foi criada em fevereiro de 2014 pela fundação Auroracoin, como alternativa para driblar às restrições impostas pelo governo, incluindo o decreto Foreign Exchange Act, que proíbe, desde 2014, a negociação de Bitcoin na Islândia.

Publicado em 21 de junho de 2018 por

O Auroracoin, primeira moeda da Islândia, foi criada em fevereiro de 2014 pela fundação Auroracoin, como alternativa para driblar às restrições impostas pelo governo, incluindo o decreto Foreign Exchange Act, que proíbe, desde 2014, a negociação de Bitcoin na Islândia.

Entre os planos do criador da moeda, Baldur Friggjar Óðinsson, estava a distribuição de 50% dos Auroracoins para todos os 330 mil islandeses na época cadastrados no banco de dados de identificação nacional da Islândia.

Contudo, apesar do lançamento envolver o uso do banco dados autorizado pelo governo, a legalidade das criptomoedas nunca foi um consenso no país – muitos políticos adotaram discursos de repúdio à moeda afirmando que o Auroracoin poderia influenciar negativamente a economia do país, ou ainda que era um golpe financeiro.

A cerca disso, Óðinsson declarou que mesmo que o governo tornasse ilegal o uso de Auroracoin, o Estado jamais seria capaz de controlar um sistema descentralizado ou mesmo de impedir que os islandeses usassem a moeda. Não sem uso da força militar.

Originalmente, a moeda seguiu o modelo de criação do Bitcoin e foi baseada no algoritmo Litecoin. Posteriormente, em 2016, foi lançada uma nova base de código, dessa vez usando uma estrutura multialgoritmo baseada no DigiByt.

Airdrop

Com o intuito de popularizar a moeda no mercado islandês, seu criador resolveu distribuir 50% do total de Auroracoins à toda população reclamente do país através do sistema nacional de identificação.

Na primeira fase do lançamento do airdrop, que começou no dia 24 de março de 2014, foram distribuídos 38,1 AUR – o equivalente a US$385 – para cada cidadão reclamante. Com a alta emissão da moeda (cerca de 281 mil) somente no primeiro dia do airdrop, o valor do Auroracoin caiu em mais de 50% em relação ao Bitcoin. Ao final da primeira fase do airdrop, estima-se que foram distribuídas mais de 1.126.674 AUR para 35,43 mil cidadãos.

Na segunda fase que ocorreu entre os dias 25 de julho e 24 de novembro de 2014, foram distribuídas mais de 1,6 milhão de moedas para os 5.024 reclamantes que dessa vez receberam 318 moedas cada devido à drástica desvalorização do AUR.

Na terceira e última fase que começou no dia 25 de novembro de 2014 e se encerrou no dia 24 de março de 2015, 2,6 mil pessoas reivindicaram suas moedas. No total, foram distribuídas mais de 1,7 milhão de Auroracoins. Nessa fase, com a desvalorização ainda mais acentuada, cada reclamante recebeu 636 AUR.

Em abril de 2015, as mais de 5 milhões de moedas pré-mineradas que não foram solicitadas pelos cidadãos foram queimadas.

Cotação do AUR

Em seu auge, o Auroracoin chegou a ser cotado em cerca de 0,1 BTC, sendo que, no entanto, apesar de ter se estabilizado após a queima das moedas não distribuídas no airdrop, a moeda não conseguiu voltar ao patamar de antes. Hoje, sua cotação frente ao Bitcoin e ao dólar, segundo a CoinMarketCap, são de 0,00006802 BTC ou US US$0,459725.  

Nesse sentido, alguns agentes do mercado acreditam que o Auroracoin foi um experimento que não deu certo.

Em contrapartida, entusiastas e interessados na moeda tentam fomentar o interesse pela Fundação Auroracoin a fim de atrair valor para moeda.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment