Com sede em Abu Dhabi, o banco Al Hilal Bank realizou uma transação no mercado secundário com títulos islâmicos denominados sukuk. Segundo o site da instituição financeira, o valor da transação foi de US$500 milhões.

Com sede em Abu Dhabi, o banco Al Hilal Bank realizou uma transação no mercado secundário com títulos islâmicos denominados sukuk. Segundo o site da instituição financeira, o valor da transação foi de US$500 milhões.

Os equivalentes dos títulos que correspondem à lei da Sharia foram emitidos na Blockchain com o apoio da startup Jibrel Network. Os instrumentos vencem em setembro de 2023.

De acordo com representantes do banco, a Blockchain e os contratos inteligentes abrem novas oportunidades, permitindo o aumento da eficiência das operações com esses instrumentos e ajudando a reduzir os custos indiretos.

O banco Al Hilal Bank também enfatizou que o sukuk é uma classe de ativos que está crescendo rapidamente: em 2017, o volume desse mercado foi de US$97,9 bilhões, 50% superior a 2016.

Devido ao fato de que a lei de Sharia proíbe a usura, a emissão de títulos tradicionais de renda fixa em alguns países é inaceitável. O sukuk fornece renda não garantida através dos lucros do empreendimento financiado.

Anteriormente, instrumentos parecidos foram planejados para o lançamento pela empresa financeira da Indonésia, a Blossom Finance. Os fundos arrecadados foram planejados para serem gastos no financiamento de projetos sociais.