Banco Central Russo planeja taxar Bitcoin

Em uma movimentação inovadora para o país, o Banco Central Russo planeja, em breve, reconhecer moedas digitais como commodities digitais e taxá-las conforme a lei.

Publicado em 31 de maio de 2017 por

Em uma movimentação inovadora para o país, o Banco Central Russo planeja, em breve, reconhecer moedas digitais como commodities digitais e taxá-las conforme a lei. Isso foi relatado pela CryptoCoinNews.

A presidente da instituição, Olga Skorobogatova, disse que o Banco Central atualmente está no processo de reconhecer e monitorar as moedas digitais dentro do âmbito legal. Espera-se que logo em junho o plano inicial seja contemplado por um dos parlamentos russos.

Isso foi dito na semana passada, enquanto a representante falava diante do Parlamento Russo, quando ela descreveu de forma breve os planos do Banco Central para as criptomoedas. Nessa mesma ocasião ela afirmou com todas as letras que as moedas digitais em circulação na Rússia seriam taxadas e monitoradas como commodities digitais que são.

Ela ainda revelou que foram discutidos planos, juntamente com o Ministro de Finanças, Ministro de Desenvolvimento Econômico e outras agências, para introduzir taxação nas transações de Bitcoin. Skorobogatova ainda reiterou que todos os presentes nas discussões foram a favor da proposta.

Bipolaridade Russa

Ainda em 2014, vários representantes do governo russo, como Alexei Moiseev, criminalizavam e falavam em banir o uso do Bitcoin em suas fronteiras. Entretanto, numa reviravolta, digna de novela, o mesmo oficial voltou atrás em abril deste ano, quando disse que as autoridades provavelmente regulariam e reconheceriam o Bitcoin dentro dos parâmetros legais já em 2018.

Contudo, ainda não existem detalhes adicionais sobre como o monitoramento de todas as transações em Bitcoin seria feita. Também não é possível vislumbrar ainda qual, e se haverá, distinção entre a mineração e as transações em Bitcoin perante a lei.

Publicidade

Todavia, é interessante ver a mudança de pensamento dos russos quanto ao Bitcoin, indo de uma hostilidade completa a um processo de reconhecimento. Provavelmente, isso tem algo haver com os comerciantes querendo uma parcela do mercado que utiliza BTC diariamente.

Grandes comerciantes na jogada

Em setembro do ano passado a Ulmart afirmou ter planos de aceitar Bitcoin, depois de uma “amigável” conversa com o Banco Central da Rússia, a empresa voltou atrás, descartando esses planos em fevereiro desse ano.

Outro dos gigantes russos que também entrou no páreo foi Pavel Vrublevsky, fundador da ChronoPay, uma processadora russa de pagamentos online. Há pouco tempo ele anunciou que integraria Bitcoin aos métodos de pagamento de sua empresa, dentre os quais já constam a VISA e MasterCard.

Então, dessa maneira, podemos ver que os governos podem chorar, se contorcer ou até mesmo espernear, mas no final das contas, quem ganha é o mercado. Não existe governo, por mais autoritário que seja, que consiga se manter no poder sem o apoio maciço do mercado.

E, agora, esse mercado se mostra faminto pela criptografia, que toma forma não só no Bitcoin, mas em inúmeras outras moedas, inclusive algumas sendo nativas da Mãe Rússia como a Sibcoin.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment