Banco Hapoalim e a Microsoft desenvolvem plataforma em blockchain

A maior instituição financeira de Israel, o Banco Hapoalim e a Microsoft, estão desenvolvendo uma plataforma para gerenciar garantias bancárias digitais.

Publicado em 8 de setembro de 2017 por

A maior instituição financeira de Israel, o Banco Hapoalim e a Microsoft, estão desenvolvendo uma plataforma para gerenciar garantias bancárias digitais. Isto foi publicado pela revista Fork Log.

De acordo com os desenvolvedores, a nova plataforma aumentará significativamente a eficiência das operações financeiras e reduzirá a quantidade de “trabalho em papel”. No momento, para receber uma garantia bancária, o cliente deve chegar ao escritório, emitir documentos, transferir garantias aos beneficiários, devolvê-los ao banco se eles não foram utilizados, etc. A nova solução foi projetada para acelerar este processo, reduzindo o número de operações de rotina.

Publicidade

Publicidade

“O novo processo permitirá aos clientes do Banco Hapoalim receberem documentos protegidos de forma digital, automática e segura em um curto espaço de tempo e sem a necessidade de visitar agências bancárias. O uso da tecnologia de blockchain deve melhorar significativamente a qualidade do atendimento ao cliente e aumentar o nível de confiança no sistema bancário”, afirmou Arik Pinto, CEO do Banco Hapoalim.

Segundo os representantes das empresas, para desenvolver o quadro jurídico, o Banco Hapoalim coopera com o banco central do país.

“Este é a primeira cooperação desse tipo no setor bancário em Israel, essa tecnologia está sendo projetada para promover a revolução digital e expandir o acesso a serviços avançados”, disse Shelly Landsman, executiva da Microsoft Israel.

Publicidade

Publicidade

A nova solução de blockchain será baseada na plataforma de nuvem Azure da Microsoft.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment