Bancos de Singapura fecham contas de dez empresas de criptomoeda

A Autoridade Monetária de Singapura (MAS) não planeja regular a circulação de ativos criptográficos, mas se oporá a lavagem de dinheiro usando moedas digitais.

Publicado em 27 de setembro de 2017 por

Ao longo das últimas semanas, os bancos de Singapura encerraram contas de cerca de dez empresas de ativos criptográficos. O chefe da Singapore Association of Crypto-Currency e do agente da bolsa, Anson Zeall se referiu à situação como “algo inexplicável” e pediu às autoridades do país para intervir no problema, isso foi relatado pela Bloomberg.

“Nós gostaríamos de exortar Singapura a assumir a liderança e demonstrar como conseguir uma solução efetiva para todas as partes”, disse Zeall.

Publicidade

Publicidade

Por sua vez, o Banco Central de Singapura (MAS) disse que não interfere com as decisões comerciais dos bancos individuais e a responsabilidade de estabelecer protocolos de trabalho cabe aos próprios bancos desde que eles cumpram as regras de proteção contra fraudes e as leis sobre a integridade dos clientes.

Em particular, a CoinHako, uma corretora de criptomoedas de Cingapura, anunciou o fechamento de sua conta no DBS Bank.

“A regulamentação e o papel da blockchain na sociedade ainda representam um espaço cinzento”, observaram os representantes da corretora.

A CoinHako já notificou seus clientes que suspenderá a negociação em pares com o dólar de Cingapura por várias semanas, ate que consiga de abrir uma nova conta bancária.

Vale ressaltar que o fechamento das contas ocorreu logo após a publicação do MAS, avisando que os tokens digitais que se diferem das moedas digitais podem ser classificados como valores mobiliários. Mais tarde, o MAS alertou os clientes contra o investimento nas ICOs, uma vez que considera tais transações arriscadas.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment