Bancos japoneses começam a utilizar MoneyTap

Aumentando rapidamente, o preço da moeda digital Ripple (XRP) tomou o segundo lugar na classificação da Coinmarketcap, desbancando o Ethereum.

Publicado em 5 de outubro de 2018 por

O MoneyTap, aplicativo móvel de pagamentos da Ripple, começou a ser utilizado por vários bancos japoneses para pagamentos domésticos.

O app é focado no segmento de consumidores. A Ripple e a gigante financeira japonesa SBI Holdings estão trabalhando em conjunto na criação e implementação do aplicativo.

Um novo site foi lançado para o produto, onde é indicado que ele permite pagamentos interbancários em tempo real através da tecnologia xCurrent, que não envolve o token XRP.

O aplicativo está disponível para dispositivos com Android e iOS. Ao enviar fundos, o MoneyTap usa os números de telefone ou códigos QR dos destinatários. O aplicativo também é suportado por dispositivos equipados com um scanner de impressões digitais, o que pode fornecer um nível adicional de proteção.

No momento, apenas três instituições financeiras japonesas podem usar o aplicativo: SBI Sumishin Net Bank, Suruga Bank e Resona Bank. O site indica também que os pagamentos não exigem comissões e são feitos em iene japonês ou moedas estrangeiras.

Em setembro, a SBI Ripple Asia anunciou o registro no Ministério da Fazenda do país e obteve o status de agente licenciado de pagamentos eletrônicos. Este último é necessário para lançar qualquer aplicativo de pagamento.

Também recentemente, a Ripple informou que graças à sua tecnologia, em algumas regiões a empresa britânica TransferGo conseguiu reduzir os custos em 90%, enquanto o tempo de processamento de transações foi reduzido para “segundos”.

Lembramos que recentemente, a Ripple anunciou o início do uso comercial do produto xRapid com base no token XRP.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment