Bitcoin abre caminho para ex-presidiários obterem empregos

O bitcoin tambem ajuda na area social, ao facilitar que ex-presidiários consiguam empregos, Isso pode fazer toda a diferença na vida dessas pessoas.

Publicado em 9 de dezembro de 2016 por

Muitas vezes, os ex-presidiários enfrentam enormes desafios sociais e financeiros após o seu encarceramento. No entanto, o bitcoin pode oferecer novos caminhos para reintegrá-los de volta à sociedade.

O estigma de um registo criminal, muitas vezes, põe em risco as oportunidades de emprego de ex-presidiários, o que pode até negar-lhes contas bancárias, devido a requisitos de elegibilidade.

Publicidade

Publicidade

O número de ex-presidiários desempregados aumentará à medida que mais presos se qualificarem para liberação antecipada. Muitas vezes os empregadores rejeitam rapidamente seus pedidos de trabalho, ate mesmo antes de uma entrevista formal. No entanto, existem áreas de oportunidade que o bitcoin pode oferecer aos ex-presidiários, dando-lhes uma segunda chance no mercado de trabalho, bem como uma carteira bancaria.

Os ex-presidiários e a economia

Segundo os últimos dados disponíveis, existem cerca de 1,8 milhões de ex-presidiários em idade de trabalho nos EUA permanecem sem emprego. Este número traduz em uma perda de cerca de $ 78 a $ 87 bilhões de dólares no PIB anual para a economia daquele país. Isso demonstra o quanto a incapacidade de reinserir essas vidas a força de trabalho e também na economia como um todo. Adicione nesta conta o custo de funcionamento de instalações de correção e prisões que estão minando a economia de várias outras formas também. 

Ainda há outro problema, mesmo para os ex-presidiários afortunados o bastante para encontrar empregos, que é a necessidade de receber salários em dinheiro físico. Isso está se tornando cada vez mais difícil, o dinheiro físico esta desaparecendo. Esse é mais um obstáculo que impede que as empresas contratem ex-presidiários, para evitar aborrecimentos na folha de pagamento, eles que têm de reservar dinheiro em espécie. Assim, a caça ao trabalho sem uma conta bancária pode ser um terror.

Publicidade

Publicidade

Como o emprego é um fator crítico na redução da reincidência, ajudar os ex-presidiários a conseguirem um emprego é um fator importante para a sociedade e para seu bem-estar econômico.

O que o bitcoin pode oferecer?

Ao contrario de grandes bancos e organizações, as carteiras bitcoin oferecem recursos financeiros digitais gratuitos a qualquer um, sem exclusões ou preconceitos. Além disso, o bitcoin oferece aos ex-presidiários “contas bancárias” neutras, sem a necessidade de declarar qualquer um dos seus registros pessoais. O aumento do uso de serviços de pagamento de salário via bitcoin, como o BitWage, ocorre em um número crescente de organizações, criando oportunidades de emprego sem a necessidade de uma conta bancária.

Oportunidades

O governo dos EUA tem planos e incentivos: como o Second Chance Act (SCA), para ajudar os ex-presidiários que trabalham a se reintegrarem a sociedade. No entanto, estas não são Iniciativas suficientes tal como exigem as disposições da organização para tornar suas medidas praticas e eficazes. Segundo o site da Felon Friendly Jobs, os empregadores sentem que os ex-presidiários representam uma ameaça para os outros funcionários, e que estes também são capazes de causar vários outros problemas.

A maioria dos ex-presidiários iria tentar a sua sorte com as empresas de iniciativas que abraçam o acima mencionado. Um pequeno número delas olha para os empréstimos, como o Federal Pell Grant, na esperança de começar seu próprio negócio. No entanto, obter aprovação para estes subsídios ainda é consideravelmente difícil.

Rede de “sistemas bancários P2P”

A discriminação e baixa autoestima são forças que empurram os ex-detentos em direções distintas ao de um novo emprego, o sentimento de rejeição e exclusão sociais muitas vezes são as causas de uma reincidência. Com a crescente presenta da indústria online, aproveitar o bitcoin pode oferecer uma segunda chance e mais; um trabalho, uma “carteira bancária” e um esconderijo do público discriminatório ao trabalhar em casa.

Nem todos os ex-presidiários estão à procura de um esconderijo. Charlie Shrem, empresário do bitcoin e um ex-criminoso, recentemente, anunciou o lançamento de uma nova empresa chamada “Intellisys Capital”. Em uma entrevista, ele disse:

“Um em cada dez prisioneiros [no meu grupo prisão] eram criminosos de colarinho branco”

Estes criminosos de colarinho branco provavelmente perderiam suas posições na sociedade convencional após seu período de encarceramento. Contudo, estes ainda são aqueles que mais podem contribuir para a sociedade. Assim sendo, um “sistema bancário P2P” remove os obstáculos do sistema bancário tradicional, enfrentados pelos ex-presidiários, lhes dando uma alternativa para continuar contribuindo com várias indústrias.

Rede de “empregadores de freelancers P2P

Além de um sistema bancário P2P, “empregadores de freelancers P2P” poderiam se beneficiar de plataformas que utilizem o bitcoin para oferecer aos ex-presidiários outra maneira de ganharem a vida.

Para finalizar, a invenção do bitcoin lançou luz sobre as organizações e em como o público pode cruzar as barreiras dos problemas tradicionais enfrentados pela sociedade. Situações como a inabilidade de abrir uma conta do banco, ter poucas oportunidades de emprego e o estigma social que vem junto de uma ficha criminal. Tudo isto pode ser solucionado com a simples adesão às contribuições feitas pelo bitcoin tanto para sociedade quanto para a economia.

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment