Bitcoin Black Friday: Faça suas compras com BTC

Descubra um novo tipo de Black Friday. Deixe de lado as ofertas hiper caras, conheça a Bitcoin Black Friday e divirta-se!

Publicado em 25 de novembro de 2016 por

Bitcoin Black Friday uma nova maneira de fazer suas compras de fim de ano.

Estamos naquela época do ano quando as ruas ficam preenchidas de luz e festa, enquanto todos nos preparamos para as maiores festividades do ano. As lojas esperam que bilhões de dólares sejam gastos nesta sexta-feira, quando a maioria das pessoas já começa a receber seu último pagamento anual antes do natal, e como já ocorreu nos últimos quatro anos, algumas destas pessoas planejam gastar seus bitcoins ao invés de dinheiro.

Publicidade

Publicidade

O melhor lugar para fazer isso por esses dias é através da Bitcoin Black Friday, que promove inúmeros descontos e ofertas. O evento abre logo pela manhã de sexta, oferecendo “barganhas generosas em carteiras de hardware”, disse Jon Holmquist, fundador da Bitcoin Black Friday.

Holmquist continua uma tradição iniciada em 2012, quando ainda poucos usavam o BTC e seu preço era cotado por volta de $1.60. O evento que iniciou com apenas alguns comerciantes naquele ano, mudou de cara quando no ano seguinte, teve uma procura muito maior devido ao aumento no preço da criptomoeda, contando em 2013 com mais de 600 vendedores.

Prestigiando quem esta aqui desde o começo

O evento deste ano tem como tema a celebração da história do Bitcoin, focando em questões que afetam tanto os usuários quanto os comerciantes que aceitam a moeda. Por volta de 150 vendedores são esperados para participar, oferecendo todo tipo de mercadoria, desde vídeo games, joalheria, até criptoarte para novos computadores.

Publicidade

Publicidade

“Nós lançamos a Bitcoin Black Friday para ‘limpar’ a imagem negativa dada ao Bitcoin pela Silk Road, e tivemos grande sucesso nisso,” disse Holmquist. “Estaremos focando em um evento menor este ano, dando ênfase a comerciantes que tem aceitado e impulsionado o processamento de suas mercadorias por Bitcoin há anos, que já são velhos conhecidos da comunidade como a Bees Brothers ou BitBrew”.

A Bees Brothers é uma pequena empresa familiar gerida por três adolescentes de Utah (EUA). Tudo começou como uma brincadeira para aprender mais sobre abelhas, mas hoje em dia eles oferecem Amêndoas torradas com mel, Sabão de mel, Bálsamo labial feito com cera de abelhas e outros produtos, todos comercializados através de bitcoin. Nos anos anteriores eles deram um desconto de 20% na Bitcoin Black Friday e neste ano espera-se que eles deem o mesmo desconto ou, quem sabe, até um melhor.

Já a BitBrew começou em 2011 oferecendo “um pouco de café orgânico da Guatemala moído por 2.95 BTC cada libra (aproximadamente ½ kg)”, quantidade de Bitcoin que vale pouco mais de $2.000 dólares na cotação atual. Ainda não se sabe o tamanho do desconto deles na Bitcoin Black Friday deste ano, estes com certeza são aguardados.

Uma novidade relativamente interessante nas “prateleiras” virtuais é a Cryptoart, que oferece pinturas, mas com uma pitada digital. Essas pinturas possuem um código QR nas costas com a chave privada de uma carteira de BTC. “Você pode trocar a chave privada e o código QR sem danificar a pintura, ela é apenas um local para você guardá-los,” disse Troy Fearnow, fundador da Cryptoart.

Essas pinturas vêm em diferentes tamanhos, desde pequenas peça do tamanho de uma folha A4 a até aquelas pinturas que se podem pendurar na parede. “Nós vendemos mais de 1000 peças desde o lançamento,” disse Fearnow, tendo esperança na Bitcoin Black Friday como o maior evento para vendas por BTC do ano. Ele ainda adicionou:

“Nossa intenção é usar essas imagens para atrair mais pessoas para o campo do Bitcoin. Ano passado apenas, ‘convertemos’ mais de 100 pessoas para o BTC, apenas dando de graça nossa arte na SXSW. Atualmente, trabalho em um ateliê bem movimentado em Austin (EUA). Gostaria de ver pessoas dando Cryptoart como presente. Os bitcoin físicos representam uma maneira muito fácil de derrubar a barreira tecnológica que pode desencorajar usuários em potencial. Este tipo de prática não apenas fomenta o interesse de novos usuários em criptomoedas, mas também lhes dá o entendimento de que podem controlar seu próprio dinheiro.”

A Cryptoart, nesta Bitcoin Black Friday, terá “ofertas relâmpagos”, prêmios misteriosos grátis e ainda darão criptoarte de graça o dia inteiro nesta sexta.

O Apogeu comercial do Bitcoin

O ápice da aceitação de bitcoin por parte de comerciantes foi em 2014 quando, para a surpresa de muitos, grandes marcas anunciaram uma após outra que estariam dispostas a aceitar bitcoins. Uma das primeiras redes que disse algo do gênero foi a Overstock:

“Acredito que sendo a primeira grande loja varejista a aceitar bitcoin, podemos conseguir um significante grupo, leal, de consumidores e como resultado, crescer nossa parcela de mercado”, disse Patrick M. Byrne, CEO da Overstock em janeiro de 2014. Ele ainda complementou dizendo que, “queremos um dinheiro que certos governos chineses não possam apenas apagar da existência com uma assinatura”.

Seguindo a Overstock veio a Newegg que testemunhou seus produtos acabarem rapidamente conforme a comunidade do bitcoin teve um gostinho da adoção das massas pela criptomoeda. Depois veio Jimmy Whales, com a Wikipedia aceitando doações em bitcoin. Dell também entrou na dança, tendo até mesmo alguém comprando $50.000 em seus produtos com bitcoin. A Microsoft foi uma empresa que fez questão desta parcela de mercado aceitando bitcoins, o que culminou com a chocante notícia de que o Paypal incorporaria a moeda através de seu processador de pagamentos, a Braintree.

No ano seguinte, de acordo com a BitPay, o número de comerciantes que aceitavam bitcoin dobrou para quase 100.000, aumentando o volume de compras com a cripto em 110%

O crescimento do comércio em Bitcoin

A empresa Alpaca socks foi vítima de piadas por parte de membros da comunidade do bitcoin por algum tempo, como único exemplo de empresa que aceitava a criptomoeda em compras. Mas hoje, a história é diferente, existindo uma enorme oferta de produtos e serviços para o público em geral que estão dispostos a receber pagamentos em bitcoin, muitos dos quais serão expostos na Bitcoin Black Friday:

“A vasta gama de comerciantes participando a cada ano garante que os consumidores poderão comprar todo tipo de coisa com Bitcoins, inclusive vídeo games, café orgânico, joias com diamantes, hospedagem de sites, serviços de contabilidade, roupas, cartões de presentes de grandes varejistas ou até mesmo computadores novos.”

Contudo, Holmquist declarou publicamente que ele havia feito “múltiplas entrevistas, chegando à conclusão de que o gasto em BTC está diminuindo e a adoção da moeda por parte dos comerciantes está bem estagnada.” Não houveram anúncios notáveis da aceitação de bitcoin este ano, tão pouco em 2015.

O debate da escalabilidade com certeza contribuiu para a estagnação da rede, que não superou o pico de 250.000 transações diárias em 2016. Mas quando se trata do preço, este quadruplicou desde o verão de 2015. Assim sendo, você pode esperar os gastos em BTC aumentarem consideravelmente conforme os indivíduos donos da moeda queiram fazer uso de seus fundos e possam gastar diretamente, sem a necessidade de converter em dinheiro, tendo gastos e esperas adicionais.

De volta para o futuro

Conforme o ano vai acabando, olhamos para trás e vemos quase oito anos de história do bitcoin. Se observarmos cuidadosamente o passado de onde a comunidade cripto saiu, é com esperança que veremos o futuro. No início o bitcoin era apenas um código, uma ideia, a ideia de que pagamentos poderiam ser feitos sem intermediários, de que as pessoas poderiam repassar valores uma vez que 51% da rede se mantivesse honesta, o sonho de que podemos mandar dinheiro para qualquer canto do mundo em segundos, quase de graça. A ideia de que uma rede gigante de computadores ou servidores esparramados pelo globo em todos os países, sem precisar de permissão nenhuma para se juntar a rede ou sair dela, nos daria controle absoluto sobre nosso dinheiro, sem interferência de terceiros ou autoridade centralizada, seja ela individual ou governamental.

A Bitcoin Black Friday é uma ótima maneira de mostrar todas estas qualidades em atividade, conforme usuários de todo o mundo conseguem comprar bens ou serviços usando uma rede livre e descentralizada de confiança.  Holmquist disse, “Espero que todos tenham ótimas festas este ano, estamos muito animados e ansiosos para ver como será a Black Friday deste ano e pessoalmente estou empolgado para comprar alguns presentes com Bitcoin mais uma vez!”

Por que sair correndo pra uma loja cara, onde você conseguirá apenas comprar pela metade do dobro do preço? Se parar para pensar, é absurdo quando pode conseguir descontos reais, comprando de vendedores do mundo inteiro com um sistema que protege seu dinheiro, lhe dando mais mobilidade. Prepare sua carteira virtual, a Bitcoin Black Friday veio para ficar e está aí novamente! Boas compras!

Thiago
Thiago é co-fundador e o suporte técnico, famoso faz-tudo, por trás do BTCSoul. Para ele o interesse nas criptomoedas, Blockchain e Bitcoin se encontra também em seu código.

Leave a Comment