Bitcoin no Paquistão

O Paquistão é atualmente o sétimo país mais populoso do mundo, com aproximadamente 202 milhões de habitantes.

Publicado em 20 de janeiro de 2017 por

O Paquistão é atualmente o sétimo país mais populoso do mundo, com aproximadamente 202 milhões de habitantes. Hoje, o país apresenta muitos traços maduros que podem acelerar a adoção do Bitcoin. Como explica o co-fundador da Urdubit, maior plataforma de negociação do país, Danyal Manzar.

Enormes mercados independentes, porem sem soluções de pagamentos

Apesar de não ter acesso ao Paypal, o Paquistão ainda está entre os melhores países para freelancers e trabalhadores terceirizados. De fato, “O Paquistão está classificado como 3.º em sites freelancers”

Publicidade

Publicidade

 Manzar disse: “De acordo com o New York Times, 10.000 diplomados em TI no Paquistão são estimados para entrar no mercado de trabalho paquistanês a cada ano.”

Envios de fundos também são um “mercado grande” no Paquistão, assim conforme disse Manzar. “Nós temos a entrada anual de aproximadamente US$ 20 bilhões, e como não temos trabalhos suficientes dentro do país, vemos muitos envios vindos dos Emirados Árabes e Arábia Saudita, estes sendo seguidos por países ocidentais”, acrescentou ele.

Apesar da falta de postos de trabalho, no entanto, a vida no Paquistão tem se modernizado nos últimos anos. O estilo de vida mudou muito rápido, as inovações tecnológicas, e o aumento a acesso de banda larga no Paquistão foram fatores que aceleraram o número de freelancers paquistaneses. No entanto, “os pagamentos são sempre um problema,” Manzar disse, acrescentando que:

“Uma vez que o mercado de trabalho também é limitado, vemos muitos freelancers se voltando para o Bitcoin, não há Paypal no país e nenhum processador de pagamento adequado, que possa ajudar nos pagamentos.”

Alta da banda larga e crescimento da assinatura

A utilização de banda larga móvel está crescendo muito rápido no país. O Banco Mundial descreve o Paquistão como “liderando o caminho no sul da Ásia em finanças digitais” com 6% dos adultos que têm contas móveis, em comparação com média de menos de 2,6% do sul da Ásia.

Em junho passado, o número de assinantes de 3G/4G no país havia atingido 29,53 milhões, acima dos 14,6 milhões contabilizados em julho de 2015. O total de assinantes de banda larga cresceu 92%, para 32,41 milhões de 16,88 milhões, de acordo com a Autoridade de Telecomunicações do Paquistão (PTA).

O Banco Mundial também observa que cerca de 100 milhões de adultos no Paquistão não possuem acesso a serviços financeiros formais e regulamentados. Apenas 13 por cento dos adultos não têm uma conta formal e 27,5 milhões de adultos dizem estar do raio de ação de uma instituição financeira, e isso é uma barreira para a abertura uma conta.

Com tantas pessoas sem conta bancária, sem acesso a Paypal, uma indústria de freelancing enorme, um dos principais destinos de remessas, é em uma conta de celular, assim sendo, o Bitcoin poderia encontrar um mercado interno enorme no Paquistão.

Mercado Bitcoin no Paquistão

É certo que o mercado do Bitcoin no Paquistão “ainda é muito novo”, mas está crescendo rápido, Manzar disse, citando a baixa penetração bancária e “terminais POS muito limitados no país”, explicou:

“O Bitcoin fornece um sistema de pagamentos transfronteiriço, bem como solução de pagamento local a um custo muito menor.”

A Urdubit de Manzar é uma exchange de Bitcoin em tempo real, usando como base a Blinktrade. De acordo com o Coinhills, o volume de negociação de Urdubit vem crescendo de forma constante nas últimas semanas, e a exchange tem o maior volume de negociação Bitcoin no país, o dobro da Localbitcoins no período de 24 horas.

“Eu diria que a nossa quota de mercado é de 1/3 do total do mercado”, explicou ele. Se ele estiver correto, o quadro indica que o Paquistão comercializa cerca de 40 Bitcoins a cada dia, o que o coloca em algum lugar em torno de 27º lugar entre todas as moedas em rankings de volume.

No entanto, ele também admitiu que ainda não há muitas lojas que aceitam Bitcoin. “On-line, a situação é um pouco melhor, uma vez que muitos sites no país começaram a aceitar a moeda digital como forma de pagamento, devido a prazos de pagamento mais rápidos e sem cobrar a mais por isso”. Manzar observou:

Nós acreditamos que seja apenas uma questão de tempo antes de vermos o Paquistão seguir a Índia e tornar-se um dos principais utilizadores do Bitcoin.

Enquanto isso, o governo do Paquistão “não tomou qualquer posição sobre o Bitcoin como Índia,” Manzar acrescentou. Sua empresa foi aprovada pelo Banco do Estado do Paquistão. “Eles acreditam que o Bitcoin é uma mercadoria e não uma moeda”, observou .

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment