O Bitcoin realmente não precisa  de uma ETF

A estabilidade do mercado após a negação do ETF conduziu às discussões sobre porque Bitcoin não precisa um ETF para começo de conversa.

Publicado em 12 de março de 2017 por

A comunidade de Bitcoin não parece estar incomodada pela decisão Securities Exchange Commission dos EUA (SEC) de desaprovar a ETF Bitcoin dos gêmeos Winklevoss – COIN- como muitos analistas esperavam. A estabilidade do mercado após a negação do ETF conduziu às discussões sobre porque Bitcoin não precisa um ETF para começo de conversa.

Por que a SEC reprovou a ETF e por que a Bitcoin não precisava dela

O Bitcoin é uma das únicas moedas ou redes em existência que facilitam pagamentos entre dois usuários com a ausência de um mediador ou um administrador de rede. No Bitcoin, as regulamentações são inexistentes e podem ser feitas transações sem manipulação, independentemente do montante ou do tamanho da transação.

Publicidade

Publicidade

Embora o Bitcoin não seja necessariamente destinado a substituir o dinheiro fiduciário, ele foi introduzido em 2009 para servir como uma alternativa à estrutura financeira global e ao ecossistema.

Satoshi Nakamoto, criador do Bitcoin, queria apresentar uma rede de liquidação em dinheiro na qual os usuários não fossem obrigados a passar por processos de liquidação pouco práticos e ineficientes para enviar e receber dinheiro uns dos outros.

Com o passar do tempo, o Bitcoin como uma tecnologia descentralizada evoluiu, com o trabalho da equipe de desenvolvimento do Bitcoin Core, bem como a equipe de colaboradores globais e de código aberto do Bitcoin. O poder de hash da rede Bitcoin começou a proteger a rede de ataques externos e acolher dezenas de milhões de novos usuários na rede.

Como o especialista em segurança da rede Bitcoin, Andreas Antonopoulos, observa, a rede financeira verdadeiramente descentralizada, transparente e segura do Bitcoin está começando a substituir a indústria financeira proporcionando ao público em geral uma rede financeira de baixo custo e mais rápida.

Antes de considerar o fato de que centenas de milhões de dólares e, potencialmente, bilhões de dólares poderiam ter sido despejados no Bitcoin como resultado da aprovação do ETF “COIN”, é importante refletir sobre o propósito do Bitcoin como uma rede financeira.

Sua verdadeira finalidade dentro do quadro financeiro global é permitir que as pessoas façam pagamentos peer-to-peer uns com os outros, não para reunir grandes investimentos dentro de um mercado altamente regulamentado.

Antonopoulos afirmou:

“Se você pensa em medir o sucesso do Bitcoin levando em conta a aprovação da indústria histórica e obsoleta que ele substitui, você está fazendo isso errado.”

A desaprovação da SEC é a confirmação de que a Bitcoin é uma rede descentralizada

Dois principais argumentos apresentados pela SEC em sua desaprovação da ETF “COIN” foram que a SEC não pode proteger os investidores de perdas feitas durante a negociação de Bitcoin e que a rede Bitcoin não pode ser vigiada tão facilmente como as outras.

Como a rede Bitcoin elimina completamente a possibilidade de recuperar transações ou reembolsar pagamentos, força os usuários a serem mais responsáveis. No PayPal, por exemplo, uma rede financeira centralizada, os usuários podem perguntar aos moderadores da rede se enviaram incorretamente transações ou pagamentos processados para o receptor errado. Dentro da rede Bitcoin, não existe tal equipe administrativa e os usuários são os únicos responsáveis pelo seu dinheiro e transações.

Se a SEC precisa garantir aos investidores e comerciantes uma apólice de seguro, o que basicamente significa que quando um Bitcoin for perdido, roubado ou mesmo desviado, a SEC deve ser responsável por proteger os investidores de quaisquer perdas, é altamente improvável que um ETF de Bitcoin seja aprovada pela SEC.

O documento oficial da SEC dizia:

“Conforme discutido mais adiante, a Comissão está desaprovando a proposta de alteração das regras porque não considera que a proposta seja coerente com o Artigo 6 (b) (5) do Exchange Act, que exige, entre outras coisas, que as regras nacionais de valores mobiliários sejam concebidas para prevenir atos e práticas fraudulentos e manipuladores e para proteger os investidores e o interesse público “.

Nem a SEC, nem quaisquer outras organizações governamentais, devem ser responsáveis por proteger os investidores de tomar decisões financeiras independentes. Além disso, é quase impraticável introduzir um mercado altamente regulamentado no Bitcoin, se o Bitcoin foi projetado desde o início para substituir mercados regulamentados e sistemas financeiros ineficientes.

Que comece o chororô e mimimi dos governistas!

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment