Bitcoin uma alternativa a emissão de dinheiro

A guerra global contra o dinheiro, iniciada por algumas das principais economias e governos de todo o mundo, está começando a afetar os ecossistemas financeiros.

Publicado em 21 de dezembro de 2016 por

A guerra global contra o dinheiro, iniciada por algumas das principais economias e governos de todo o mundo, está começando a afetar os ecossistemas financeiros. De acordo com várias fontes, o uso de dinheiro em países como os EUA, Coréia do Sul e Dinamarca diminuiu drasticamente e presume-se que declinará ainda mais no futuro. Como o dinheiro continua a desvalorizar, o Bitcoin está se tornando uma forte alternativa ao dinheiro emitido pelo governo.

Dinamarca: o uso de dinheiro físico já está abaixo de 20%

O banco central da Dinamarca, também conhecido como Danmarks Nationalbank, há muito tempo considerou a substituição de dinheiro por uma moeda baseada em blockchain, denominada E-krone. Usando sua moeda nacional, a coroa dinamarquesa como base, o Nationalbank está considerando substituir seu dinheiro com uma forma eletrônica.

Publicidade

Publicidade

Lars Rohde, governador do banco central dinamarquês que supervisionou a imprensa do banco durante anos, afirmou em uma entrevista que o uso de dinheiro na Dinamarca já está abaixo de 20%. Ele também observou que o resto da população dinamarquesa conta com sistemas bancários on-line ou provedores de serviços financeiros alternativos para liquidar pagamentos e transferir ativos. Assim, seguindo a tendência global de supressão de dinheiro, Rohde está avançando com o conceito da E-krone em 2017.

No entanto, como qualquer moeda digital ou ativos centralizados, o E-krone não consegue ser uma forma eficiente de dinheiro por não ser descentralizada. A e-krone fornece ao banco central dinamarquês um elevado nível de controle, o que acabaria por comprometer a segurança e a privacidade.

“O dinheiro e as notas não são uma alternativa aos pagamentos eletrônicos. Nós fomos além disso há muitos anos “, disse Rohde.

Publicidade

Publicidade

EUA: o uso de dinheiro pode atingir seu menor uso com apenas 24%

Os EUA, que abriga algumas das maiores empresas de fintech e de bitcoin do mundo, também estão vendo uma mudança drástica nos pagamentos e liquidação financeira. Recentemente, o proeminente escritório de advocacia Paul Hastings divulgou um artigo de pesquisa que afirmava que os pagamentos não monetários nos EUA e no Reino Unido chegarão a US$ 46 trilhões e US$ 1,75 trilhão, respectivamente, até 2026.

Isso significa que, dentro da próxima década, as transações em dinheiro só representarão 24% de todos os pagamentos nos EUA, com 76% de todas as transações sendo manuseadas com redes e métodos de pagamentos não monetários.

A análise da Paul Hastings é baseada em dados de mercado confiáveis e tendências financeiras, a qual foi conduzida em conjunto com o Centro de Economia e Pesquisa de Negócios e o YouGov.

Otimistamente, o crescimento da indústria de fintech global e startups estão a par com a diminuição do uso de dinheiro, oferecendo a população em geral mais opções para escolher, além de bancos e provedores de serviços financeiros tradicionais.

No entanto, a Accenture, uma empresa de pesquisa de vários bilhões de dólares, observou recentemente em um artigo que os EUA estão ficando atrás da Ásia e Europa em termos de investimento fintech e crescimento de startups, o que pode ser explicado pela incapacidade do governo de apresentar marcos regulatórios práticos.

Coréia do Sul: Grande mídia e firmas de pesquisa apoiando o Bitcoin

Os principais meios de comunicação sul-coreanos e as principais empresas de pesquisa, incluindo a Chosun, a maior rede de mídia do país, conduziram várias iniciativas de pesquisa para explorar o potencial e a praticidade de uma sociedade sem dinheiro.

Curiosamente, ao invés de buscar alternativas como o sistema de moeda eletrônica ou sistemas baseados em blockchain, a Chosun e a mídia coreana sul-coreana estão otimistas em relação ao Bitcoin, que já se estabeleceu um limite de mercado maior do que o de muitas moedas nacionais. Na verdade, vários analistas e especialistas respeitáveis levaram a pesquisa sobre o Bitcoin e a possibilidade de usar Bitcoin como uma alternativa ao dinheiro.

A Coréia do Sul já anunciou seus planos finalizados para desmonetizar as moedas até o final de 2020. Em vez de receber moedas, os usuários teriam que inserir os detalhes do cartão de crédito para que as moedas fossem enviadas para suas contas bancárias. O Bitcoin poderia tornar este processo mais fácil, seguro e eficiente para a população em geral.

À medida que o uso de dinheiro global diminui a necessidade de uma forma digital de pagamento ou armazenamento de valor, como o Bitcoin, está se tornando mais óbvia. O Bitcoin provou ser a forma mais segura de mercado digital de valor desde a sua introdução em 2009 e um número crescente de instituições, indivíduos e investidores estão vendo-o como a moeda global.

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment