Bitmain pode conquistar controle sobre 51% do hash do Bitcoin

A maior fabricante de equipamentos de mineração, a chinesa Bitmain, explica a seus usuários a questão da backdoor Antbleed.

Publicado em 26 de junho de 2018 por

De acordo com dados da CoinDance, nos últimos sete dias, as pools BTC.com e Antpool, controladas pela gigante da mineração Bitmain, produziram, respectivamente, 25,5% e 16,5% de todos os blocos do Bitcoin. Assim, 42% de todo o hash da rede da Primeira Moeda é controlado por apenas uma empresa.

Se a tendência de centralização das capacidades de mineração e concentração de um player continuar, a Bitmain poderá, em breve, obter controle sobre 51% do hash.

Bitmain pode conquistar controle sobre 51% do hash do Bitcoin. BTCSoul.com

Dados: CoinDance

Isso representa uma ameaça potencial à rede Bitcoin devido à possibilidade de que a gigante da mineração possa realizar o chamado ataque de 51%, recentemente lançado contra algumas pequenas altcoins, incluindo Bitcoin Gold, Verge, Litecoin Cash e Monacoin.

Em 2014, o agora extinto Ghashing Mining Pool cruzou o patamar de 51% da rede por um curto período, mas em resposta às preocupações da comunidade, pediu aos usuários que movessem parte de seu hash para outras pools. Muitos representantes da comunidade estão certos de que é improvável que a Bitmain adote tais práticas.

Também recentemente, a Antpool, em uma tentativa de atrair novas mineradoras para sua plataforma, lançou uma ação na qual o Bitcoin estará isento de cobrança. A ação durará até meados de setembro.

Segundo alguns especialistas, a probabilidade de a Bitmain lançar um ataque de 51% à rede é pequena, uma vez que não é rentável para a empresa a longo prazo. No entanto, o medo da comunidade é o próprio fato de a empresa controlar 51% dos hashrate – caso hackeada, os invasores terão controle total sobre a rede Bitcoin.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment