BitPrime, corretora de Bitcoin, é lançada na Nova Zelândia

Após o fim de uma de suas principais bolsas, a Nova Zelândia recebeu esta semana o lançamento de um novo serviço, o BitPrime.

Publicado em 29 de março de 2017 por

Após o fim de uma de suas principais bolsas, a Nova Zelândia recebeu esta semana o lançamento de um novo serviço, o BitPrime.

O movimento ocorre apenas seis semanas depois que o bitNZ, um câmbio que operava na Nova Zelândia desde 2011, foi forçado a fechar depois que seu banco se recusou a servi-lo por mais tempo.

Publicidade

Publicidade

“O Bitcoin é um conceito bastante novo para a maioria das pessoas, por isso queremos torná-lo uma forma acessível de investimento para todos os neozelandeses”, disse o CEO da BitPrime, Geoffery Palmer em um comunicado de imprensa na terça-feira.

“Com taxas de juros tão baixas, os investidores estão buscando melhores retornos em diferentes classes de ativos, e é exatamente isso que o Bitcoin oferece”.

Enquanto o mercado neozelandês permanece pequeno em termos de negociação, a expansão do mercado de consumo aponta para um ambiente bancário mais hospitaleiro.

Alibaba se junta à NZ

Ao mesmo tempo, as empresas de Blockchain se multiplicam rapidamente no país. O New Zealand Post anunciou esta semana que estava fazendo parceria com a chinesa Alibaba e a produtora de lácteos Fonterra para desenvolver um “sistema de segurança alimentar baseado em Blockchain para tranquilizar os clientes quanto à qualidade e a segurança dos produtos”.

A decisão surgiu devido a um grande susto de bactérias detectadas pela Fonterra em 2013, que se revelou um falso positivo, mas deixou um mau gosto na boca dos consumidores chineses sobre a segurança alimentar.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment