“Blockchain ainda precisa de tempo ate a plenitude”

Paul Schaus, CEO da CCG Catalyst, uma empresa de consultoria de gestão de bancos, argumentou, na American Banker, que os investimentos dos bancos na tecnologia blockchain ainda demorarão um pouco até chegar a sua plenitude.

Publicado em 13 de dezembro de 2016 por

Paul Schaus, CEO da CCG Catalyst, uma empresa de consultoria de gestão de bancos, argumentou, na American Banker, que os investimentos dos bancos na tecnologia blockchain ainda demorarão um pouco até chegar a sua plenitude. Isso se deve as incertezas regulatórias, mas que elas proporcionarão alguns benefícios de curto prazo na melhoria das operações internas. Ele argumenta que os bancos devem ter expectativas realistas e de longo prazo.

Schaus observou que uma pesquisa da IBM, com 200 bancos globais, indicou que 15% deles introduzirão produtos baseados em blockchain já no próximo ano, e 65% tê-los-ão nos próximos três anos.

Publicidade

Publicidade

Expectativas devem ser temperadas

Os bancos têm de temperar as expectativas sobre seus retornos da tecnologia blockchain, porque a incerteza regulatória fará com que os eles usem pela primeira vez a tecnologia para fins internos, que muito provavelmente não envolverão transferências de fundos.

As implantações de blockchains iniciais envolverão a transferência de dados para serviços como Conheça Seu Cliente (do inglês Know Your Client, KYC), relatórios de conformidade, financiamento de negócios e documentação de empréstimos. Tais projetos não fornecerão todos os benefícios que a blockchain pode proporcionar logo de cara.  

Maximizar o valor da tecnologia blockchain exigirá alavancar numerosos participantes do mercado que irão compartilhar o custo de operação e construção da rede. Serão necessárias colaborações para alavancar a tecnologia blockchain para transações entre os participantes.

Publicidade

Publicidade

Tais casos de uso poderiam economizar US$ 20 bilhões anuais por meio da remoção de autoridades centrais e mecanismos de compensação, observou Schaus, citando um relatório do Santander de 2015.

Os desafios permanecem

Existem desafios antes que essas aplicações surjam, um processo que pode levar mais de uma década.

Os benefícios relativos de curto prazo à referência de dados e relatórios de conformidade serão importantes. Esses benefícios incluem uma maior precisão nos relatórios e uma melhor satisfação do cliente com o processamento mais rápido da informação.

Para atingir esses benefícios de curto prazo, os bancos precisarão alocar recursos para executar essas aplicações. Os custos aumentarão à medida que os bancos escalarem essas aplicações em diferentes divisões e linhas de negócios.

Haverá um aumento no poder de computação barata disponível e de serviços baseados em nuvem, como o Microsoft Azure e o cloud-based blockchain-as-a-service da IBM.

Os bancos também precisarão integrar esses produtos com os sistemas antigos. Com o passar do tempo, os bancos aprenderão a enfrentar os desafios de bloqueio a um custo mínimo.

Nenhum dos desafios é impossível de resolver, observou Schaus. Os bancos e outras organizações já estão trabalhando em todos eles.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment