Bloomberg: investidores institucionais entram no mercado criptomonetário através de plataformas OTC

Após uma longa queda, a maioria das criptomoedas começou a demonstrar alguns sinais de recuperação. Os possíveis cenários para o movimento de preços de algumas altcoins mais populares serão informados por nós.

Publicado em 2 de outubro de 2018 por

O envolvimento de investidores institucionais com o Bitcoin e outras criptomoedas está em um nível mais alto do que muitos pensam. Isso foi afirmado nos comentários dos especialistas da indústria para a Bloomberg.

Nesse contexto, Bobby Cho, chefe de negociação da Cumberland, uma divisão criptomonetária da empresa DRW, sediada em Chicago, diz que os fundos de hedge e outras organizações financeiras estão gradualmente expulsando investidores individuais em transações no valor de US$100 mil – essas compras são feitas principalmente por meio de transações privadas em plataformas de balcão.

Adicionalmente, grandes vendedores, incluindo mineradores, organizam cada vez mais as vendas regulares de moedas, ao invés de mantê-las na esperança de vender a um preço mais alto durante o próximo rali. Muitos mineradores criam suas próprias plataformas altamente líquidas e conduzem operações através delas.

“Isso sugere que o espaço criptomonetário está se tornando mais profissional. Os dias do “Oeste Selvagem” são realmente uma coisa do passado”, salientou Bobby Cho.

A publicação cita dados de um estudo do TABB Group, segundo o qual, em abril deste ano, transações de balcão com criptomoedas representaram US$250 milhões a US$30 bilhões por dia.

“Estamos vendo um crescimento de três dígitos em nosso negócio de balcão. Este é um território de grande crescimento”, afirmou Jeremy Allaire, CEO da Circle Internet Financial.

De acordo com a Digital Asset Research, os volumes de negociação OTC diminuíram juntamente aos preços das criptomoedas, mas não sofreram tanto quanto os indicadores semelhantes das corretoras de Bitcoin, que caíram 80% em relação aos valores de pico.

Além disso, como observa Bobby Cho, muitos investidores institucionais entraram no mundo criptomonetário relativamente recentemente, quando a volatilidade começou a diminuir.

“É a volatilidade que sempre foi um dos principais pontos para críticas de criptomoedas por investidores institucionais. No entanto, nos últimos 4-6 meses, o mercado está se movendo dentro de uma faixa muito estreita, e parece que isso faz com que as instituições financeiras tradicionais comecem a se sentir mais confortáveis para entrar neste mercado”, disse ele.

Segundo Cho, um terço das transações da Cumberland acontece no horário em que os mercados asiáticos abrem. As grandes empresas preferem os instrumentos de balcão para concluir transações, porque isso permite concordar com antecedência sobre o preço e não se preocupar com flutuações bruscas na taxa que as transações podem causar.

“Se eles liquidam um ativo, eles o fazem fora das corretoras”, disse Tom Flake, fundador da empresa Bcause, que atende aos mineradores do nível institucional.

Sam Doctor, diretor gerente da Fundstrat Global Advisers, enfatizou que grandes compradores frequentemente vão a plataformas de balcão, porque corretoras criptomonetárias não são capazes de oferecer suficiente liquidez.

Por fim, os mineradores podem oferecer aos grandes compradores algo único: os chamados Bitcoins “virgens”, que nunca foram usados para fins questionáveis, como por exemplo, lavagem de dinheiro. De acordo com Travis Kling, fundador do fundo de hedge Ikigai, alguns compradores estão dispostos a pagar 20% a mais por essas moedas.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment