BoE recusou uso de blockchain para RTGS

O banco central da Grã-Bretanha (BoE)disse que não usaria tecnologia de registro distribuído no novo sistema de liquidação bruta em tempo real (RTGS).

Publicado em 12 de maio de 2017 por

O banco central da Grã-Bretanha (BoE)disse que não usaria tecnologia de registro distribuído no novo sistema de liquidação bruta em tempo real (RTGS). Isto foi relatado pela publicação da Forklog.

Um documento recente emitido pelo Banco Central da Inglaterra, que descreve as características do novo sistema de liquidação bruta, dizendo que a tecnologia de blockchain ainda não está “suficientemente madura” para formar a base dos RTGS. Leia o relatório na integra.

“Como observado no documento consultivo, o banco decidiu não desenvolver um sistema baseado em blockchain para seu sistema de liquidação bruta baseado, porque concluímos que esta tecnologia ainda não atingiu um nível de desenvolvimento bom o suficiente para garantir o alto nível de confiabilidade que o RTGS requer”.

Vale ressaltar que, em abril, o gerente do Banco de Inglaterra (BoE),Mark Kerney, declarou que o novo sistema de liquidação bruta em tempo real será compatível com a tecnologia de registro distribuído e será qualitativamente diferente de outros sistemas similares por sua abordagem inovadora, eliminando muitos intermediários e reduzindo os custos operacionais.

“A tecnologia de registro distribuído pode melhorar significativamente a precisão, a eficiência e a segurança de tais processos. Ela vai economizar bilhões de libras esterlinas e melhorar significativamente a estabilidade do sistema”, disse Kerni sobre as perspectivas de usar a tecnologia de blockchain no novo RTGS.

O Banco da Inglaterra planeja introduzir tecnologia de blockchain em sua infraestrutura de pagamento até 2020.

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment