A Forbes Ucrânia informa que a ação tem por objetivo bloquear o acesso à Yobit através de endereços de IP russos após vários relatórios de atividade suspeita por parte dos administradores da exchange.

O órgão regulador da Russia, o Roskomnadzor (Serviço Federal de Supervisão de Comunicações, Tecnologia da Informação e Comunicações de Massa), abriu processos legislativos contra a exchange de criptomoedas Yobit alegando atividades fraudulentas.

A Forbes Ucrânia informa que a ação tem por objetivo bloquear o acesso à exchange através de endereços de IP russos após vários relatórios de atividade suspeita por parte dos administradores da exchange.

“Estamos agora investigando a Yobit como um recurso não confiável, e talvez venhamos a bloqueá-la em consequência desse processo”, disse um porta-voz.

As inconsistências com as taxas de câmbio, que supostamente permitiram à Yobit lucrar com suas operações ilegalmente, foram à fonte de um grande número de reclamações de usuários.

A empresa reagiu à notícia alegando que as informações falsas são uma “cortesia” do EdinarCoin.

Em junho de 2016, a equipe por trás da plataforma Blockchain Waves emitiu um aviso aos usuários sobre atividades similares incomuns relacionadas ao seu próprio token na plataforma Yobit.

Especificamente, os tokens da WAVES apareceram como um par de BTC no site em um estágio tal que se fez incapaz de serem retirados de carteiras privadas de Waves.

“Nós não temos nenhuma evidência que sugira que a administração da exchange tomou parte no crowdsale das Waves ou possui mesmo um número menor de moedas,” foi-se dito na época.

Em uma entrevista, a gerência da Waves confirmou que tinham sido incapazes de contatar a Yobit.

A Forbes, entretanto, observa que a empresa não está mais listada como parceira de troca em sites de alto perfil como o CoinMarketCap.

Fundada na Rússia em 2015, a Yobit já estava nas manchetes após problemas com usuários tentando retirar fundos de carteiras.