CEO da Binance: não adicionaremos “shitcoins” à listagem nem por 4 mil BTC

ote que essa Exchange não trabalha com compra direta por fiat, apenas criptomoedas. Ao utilizar a Binance, portanto, é necessário que o usuário possua uma certa quantia em criptomoedas em sua carteira (especialmente Bitcoin), considerando-se que a maioria das trocas é feita entre BTC/Altcoin.

Publicado em 13 de agosto de 2018 por

Há alguns dias, ocorreu no Twitter uma pequena briga entre o cofundador da plataforma Expanse, Christopher Franko, e CEO da Binance, Changpeng Zhao. O assunto da disputa era o custo de listagem em uma das principais corretoras criptomonetárias.

Tudo começou quando Christopher Franko publicou um tweet no qual afirmava que o custo de inclusão do token Expanse (EXP) na listagem da Binance é de 400 Bitcoins.

Alguns comentaristas escreveram em resposta que, muito provavelmente, isso era falso. Eles também sugeriram que o cofundador da Expanse poderia esbarrar em fraudadores, já que o CEO da Binance já havia afirmado anteriormente que sua corretora não cobrava nenhuma taxa para a listagem.

Em resposta, Franko disse que Changpeng Zhao estava mentindo e que talvez alguém sua corretora possa “silenciosamente” cobrar uma taxa pela listagem. Além disso, o representante do projeto Expanse indicou o endereço de e-mail utilizado para se comunicar com a Binance a fim de saber as tarifas da corretora.

Franko enfatizou que entrou em contato com os representantes da corretora através do canal de comunicação oficial, acessando o site binance.com.

Logo apareceram comentaristas que criticaram grandes corretoras por dominar a indústria criptomonetária, apelando para a comunidade para que atinja maior descentralização.

“A Binance é a pior coisa que poderia acontecer com as criptomoedas. As pessoas vão logo perceber isso”, expressou um usuário sob apelido Melecro.

Um dos desenvolvedores do Viacoin se juntou à conversa:

“Eu posso confirmar: infelizmente, este não é um caso isolado para a Binance”.

Quanto a Changpeng Zhao, ele insiste que a mensagem que Franko recebeu não era da corretora, mas sim de golpistas. Segundo ele, sua corretora nunca discute via e-mail as questões relacionadas à taxa de listagem, e muito menos cobra taxas em BTC. Além disso, Zhao notou que antes de lançar uma moeda no mercado, os desenvolvedores deveriam, pelo menos, aprender como detectar spoofing de e-mail.

Adicionalmente, Zhao escreveu que sua empresa não listará “shitcoins” na listagem nem por 400, nem por 4 mil Bitcoins. Segundo ele, ETH, NEO, XRP, EOS, XMR, LTC e outras moedas foram adicionadas à plataforma gratuitamente, então o principal critério não é a quantidade de dinheiro, mas a qualidade do projeto.

Lembramos que anteriormente, a Binance anunciou que listaria o token Polymath (POLY) como próxima “moeda comunitária” do mês;

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment