Chainalysis analisa causas do colapso do Bitcoin

Chainalysis, uma startup de Blockchain baseada em Nova York, em seu relatório "A grande queda do Bitcoin: as causas e o que nos espera no futuro" analisou causas da queda de preço do Bitcoin em mais de três vezes – de US$20 mil para US$6 mil.

Publicado em 20 de Março de 2018 por

Chainalysis, uma startup de Blockchain baseada em Nova York, em seu relatório “A grande queda do Bitcoin: as causas e o que nos espera no futuro” analisou causas da queda de preço do Bitcoin em mais de três vezes – de US$20 mil para US$6 mil.

A Chainalysis está confiante de que a venda em massa de Bitcoins foi provocada por rígidas medidas provenientes de reguladores no momento em que o preço do ativo foi impulsionado apenas pela atitude positiva dos investidores e não respaldada pelas forças motrizes fundamentais. Como resultado, isso levou ao “comportamento de rebanho” no contexto de uma crescente correlação entre várias corretoras e criptomoedas.

“Os mercados tradicionais têm uma série de indicadores fundamentais que permitem aos investidores compreender e avaliar as flutuações dos preços e as mudanças nos volumes de negociação. Já a indústria de criptomoedas ainda não decidiu quais seriam seus valores fundamentais em tempos de maior volatilidade”, resume o relatório.

Analistas da startup também apontaram para o fato de que o número de consultas de pesquisa no Google cresceu mais rápido que o preço da Primeira Moeda, assim o Bitcoin simplesmente não conseguiu manter essa trajetória ascendente meio “louca”.

“No mercado de ações, uma correção normal é de 10%, e o mercado de ursos é de 30%. Já o preço do Bitcoin caiu em 70% a partir de 6 de fevereiro”, enfatiza o relatório.

Em dezembro de 2017 e janeiro de 2018, os volumes de negociação em vários sites começaram a se correlacionar quase que completamente – o que acontecia em uma corretora era imediatamente repetido em outras. Se as “baleias” em uma plataforma começavam a vender, isso imediatamente se replicava em todos os lugares.

Em dezembro, investidores estavam comprando mais criptomoedas que foi vendendo, o que levou a uma grande diferença entre a oferta e a demanda. Assim, dada esta circunstância, o mercado não conseguiu manter os elevados preços.

Além disso, os preços do Bitcoin e de outras altcoins também demonstraram uma acentuada correlação, o que levou a um movimento descendente semelhante em todas as criptomoedas.

Vale ressaltar que, segundo o relatório da empresa Fundstrat Global Advisors, atualmente o custo de produção de um Bitcoin é quase o mesmo que a taxa do ativo.

A Fundstrat avalia três indicadores: o custo do equipamento para mineração, o custo da eletricidade, e custos gerais associados, em particular, a manutenção dos sistemas de resfriamento.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment