China alerta usuários Bitcoin sobre falta de regulamentação

"A questão não é se o Bitcoin deve ser regulamentado, mas se ele ‘pode’ ser regulamentado. A resposta é: ‘não’. O resto é conversa."

Publicado em 7 de janeiro de 2017 por

O banco central da China alertou os usuários de Bitcoin sobre a falta de regulamentação da criptomoeda, e muitas pessoas mal intencionadas já criaram o boato de que ele seria proibido no país.

O Bitcoin, que sofreu uma recuperação otimista de preços durante a semana passada, viu esse aumento substancialmente diminuído nas últimas 24 horas, despencando 21 por cento depois que o governo chinês emitiu um aviso aos usuários Bitcoin contra potenciais riscos.

Publicidade

Publicidade

Em 5 de janeiro, o Banco do Povo da China (PBOC) divulgou um comunicado que enfatiza sua posição sobre Bitcoin, reiterando que o governo chinês não considera o Bitcoin uma moeda. No entanto, o banco central da China destacou que o Bitcoin ainda é uma moeda virtual ou um “bem virtual” que pode ser legalmente comercializado e utilizado no país.

Reuniões e pedidos do banco central as exchanges

As autoridades locais falaram com representantes das exchanges Bitcoin, incluindo a BTCC, Huobi e OKCoin para discutir a situação dos quadros e políticas reguladoras implementadas para startups Bitcoin no país. Durante o encontro, foi revelado que o banco central simplesmente pediu as três exchanges para manter as operações em conformidade com as regulamentações e políticas chinesas.

Essencialmente, o governo chinês e o banco central emitiram uma advertência sensata em um comunicado ao público geral, que era basicamente constituído de que nem o banco central, nem quaisquer outras agências governamentais são responsáveis por quaisquer riscos potenciais que o Bitcoin possa ter.

Publicidade

Publicidade

O banco central da China afirmou:

“O Bitcoin é um bem virtual específico e não tem o mesmo status legal como a moeda. Não pode e não deve ser usado como dinheiro em circulação no mercado. As instituições participantes e as pessoas devem se envolver com cuidado em atividades como investimentos em Bitcoin e assumir as responsabilidades correspondentes, bem como os riscos”.

Independentemente das intenções reais da declaração, alguns meios de comunicação e figuras públicas exageraram no que foi uma declaração sensata e normalizada decorrente da preocupação do governo chinês sobre a valorização e o uso de Bitcoin.

Embora o governo chinês e seu banco central tenham emitido uma declaração pública para a população em geral entender que o governo não é responsável pelo uso independente do Bitcoin, pessoas mal intencionadas tomaram essas falas e as transformaram em uma propaganda enganosa, sugerindo que o Bitcoin seria proibido no país.

Na verdade, a BTCC, uma grande exchange chinesa que se envolveu na discussão com o PBOC, declarou:

“A BTCC se reúne regularmente com o Banco Popular da China e nós trabalhamos de perto com eles para assegurar que estamos operando de acordo com as leis e regulamentos da China. O comunicado de imprensa do PBOC descreve que há uma volatilidade significativa no comércio de Bitcoin e também citou um aviso lançado em 2013 dizendo que o Bitcoin é um bem virtual e não tem curso legal. Todos os nossos usuários devem estar cientes das políticas atuais sobre bens virtuais, bem como os riscos envolvidos na negociação volátil mercados”.

Tais especulações equivocadas no mercado de câmbio chinês de Bitcoin e na indústria Bitcoin inteira derrubaram o preço do Bitcoin, que registrou uma perda de 21 por cento, passando de US$ 1.010 para US$ 876 durante a noite.

O que acontece quando a China não proibir Bitcoin?

Se declaração de advertência da China sobre o Bitcoin levou a uma diminuição de 21 por cento do valor dentro de 24 horas desde o seu lançamento, uma ação inevitável para proibir o Bitcoin seria causa de uma queda nos preços em curto prazo. Conforme visto em 2013.

Os investidores e os comerciantes devem compreender que a vantagem de se referir ao Bitcoin como um repositório global e descentralizado de valor acontece devido a nenhuma entidade ou grupo ser capaz de proibir ou desligar a rede, como declara o especialista em  Bitcoin e segurança, Andreas Antonopoulos:

“A questão não é se o Bitcoin deve ser regulamentado, mas se ele ‘pode’ ser regulamentado. A resposta é: ‘não’. O resto é conversa.”

Existe uma certa infantilidade nesse desespero de vendas. As maiores mineradoras de BTC estão hoje na China, em um artigo passado afirmamos que, hoje, a china detém mais de 50% da mineração global da moeda, e a maioria das mineradoras foram parar na China devido a um incentivo do governo. Ninguém, nenhum pais do mundo, joga fora um comercio tão lucrativo. Então, não, o governo chinês não vai proibir o uso de Bitcoins no país.

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment