Ontem, a Comissão Europeia – órgão executivo da União Européia – publicou o "Plano para o Desenvolvimento das Tecnologías Financeiras" para o futuro próximo. A nova iniciativa convida as empresas de tecnologia e os governos europeus a aumentar a "capacidade e conhecimento da regulamentação e supervisão" no campo das novas tecnologias, incluindo a Blockchain.

Ontem, a Comissão Europeia – órgão executivo da União Européia – publicou o “Plano para o Desenvolvimento das Tecnologías Financeiras” para o futuro próximo. A nova iniciativa convida as empresas de tecnologia e os governos europeus a aumentar a “capacidade e conhecimento da regulamentação e supervisão” no campo das novas tecnologias, incluindo a Blockchain.

“Tecnologias como a Blockchain podem mudar fundamentalmente a área dos serviços financeiros. Precisamos construir uma infraestrutura amigável que permita que a inovação floresça, limitando, ao mesmo tempo, os riscos e protegendo os consumidores”, afirmou Maria Gabriel, comissária especial para a Economia e Sociedade Digital.

O documento observa que, para o segundo trimestre de 2018, a abertura do centro especializado de pesquisas, Fintech Lab, está prevista. A mensagem também identifica possíveis áreas de desenvolvimento, incluindo esclarecimentos sobre questões legais relacionadas a Contratos Inteligentes, Ofertas Iniciais de Moedas, etc.

De acordo com o documento, ainda em janeiro, a União Européia revisou sua “Diretiva de Serviços de Pagamento”, que agora obriga os bancos da região a abrir seus canais de comunicação, tais como API para aplicativos de Blockchain que exigem, por exemplo, a integração de contas de pagamento.

O “Plano de Desenvolvimento das Tecnologías Financeiras” também menciona o trabalho já realizado por funcionários da iniciativa Blockchain Observatory, lançada no ano passado como parte da criação de uma infraestrutura financeira unificada para os países da Europa.

Vale ressaltar que informações sobre os planos da Comissão Europeia para a criação do novo centro Blockchain Observatory surgiram pela primeira vez em abril de 2017. A iniciativa faz parte de um projeto ainda mais amplo da UE para promover novas tecnologias.