Corretora sul-coreana, Bithumb foi hackeada

A corretora de criptomoedas sul-coreana Bithumb apareceu no topo do volume de negócios diário de acordo com o serviço CoinHills.

Publicado em 4 de julho de 2017 por

A maior corretora de criptografia sul-coreana, a Bithumb relatou perdas na cada de “bilhões de Won” como resultado de um ataque de hackers. Isso foi noticiado pela BraveNewCoin.

De acordo com a publicação, como resultado do ataque cibernético na semana passada, os hackers conseguiram capturar dados pessoais de 31.800 usuários da Bithumb, que são cerca de 3% de toda a base de clientes da bolsa.

Publicidade

Publicidade

Alvo dos hackers não foi o servidor da Bithumb

Entre os dados de usuários roubados estavam nomes, números de telefone celular e endereços de e-mail. Uma publicação local, a Kyunghyang Shinmun informou que um dos usuários da corretora, como resultado do ataque, perdeu instantaneamente seus Bitcoins no valor de 10 milhões de wons (cerca de US$ 8.700 na taxa atual).

As consequências do hacking foram descoberta pela Bithumb em 29 de junho e, no dia seguinte, a empresa relatou o problema às agências de aplicação da lei do país. Ao mesmo tempo, mais de 100 clientes da plataforma de negociação recorreram a Agência Nacional de Combate ao Cibercrime da Coréia do Sul.

Representantes de Bithumb argumentam que não houve acesso direto aos usuários da corretora e que o ataque não foi direcionado para a rede interna da mesma, o que consiste em seus servidores e carteiras com moeda digital, mas para o computador de um dos funcionários da Exchange.

Publicidade

Publicidade

Método usado para roubar os fundos dos clientes

Após o roubo dos dados dos usuários, usando o computador de um empregado da Bithumb, os fraudadores usaram um “phishing de voz” – ataque no qual, usando uma gravação, são pedidos números e senhas para confirmação, ao dar esses dados, você deu ao atacante total acesso a suas contas.

Então, um dos usuários relatou como ocorreu o ataque. De acordo com ele uma ligação foi feita por uma pessoa que se apresentou como um funcionário da Bithumb e pediu para ditar uma senha única enviada por e-mail.

Depois que o cliente da corretora coreana cumpriu com o pedido do “empregado”, todo o saldo de sua conta foi retirado. Ao todo, esse cliente afirmou ter perdido Bitcoins no valor equivalente a US$ 8,700.

Questão de justiça

A publicação também conta que, apesar do fato da corretora ter apelado para as agências de aplicação da lei do país, cerca de 100 clientes prejudicados pelo hacker planejam apresentar uma ação judicial contra a Bithumb.

Em seu site, a Bithumb publicou um comunicado dizendo que, em primeiro lugar, a corretora planeja pagar uma compensação de até 100.000 wons (cerca de US$870 dólares americanos) por pessoa. Os pagamentos restantes serão feitos após o valor final das perdas ter sido computado com precisão.

Ainda não está claro o tipo de responsabilidade legal que a plataforma de negociação suportará pelos fundos de usuários perdidos. A situação é significativamente complicada pela ausência de regulamentação no país quanto à esfera criptográfica.

 Atualmente no país

Há apenas alguns dias, a Coréia do Sul começou a elaboração de novos atos legislativos destinados a introduzir operações com criptográficas no campo jurídico.

Em particular, serão propostas alterações à lei existente sobre transações financeiras eletrônicas, que, se adotado, significará a regulamentação das atividades de comerciantes e empresas que operam com criptografias e sua responsabilidade para os departamentos financeiros.

De acordo com o serviço Coinhills, a exchange de criptografia sul-coreana Bithumb ocupa o 6º lugar no mundo pelo volume diário de negociação em moeda criptográfica.

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment