Corretoras japonesas podem retirar criptomoedas anônimas por pressão de FSA

A Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA) vem fazendo uma pressão metódica sobre as corretoras de criptomoedas, de modo que elas se recusam a oferecer suporte a criptomoedas anônimas – como Monero, Zcash e Dash.

Publicado em 30 de Abril de 2018 por

A Agência de Serviços Financeiros do Japão (FSA) vem fazendo uma pressão metódica sobre as corretoras de criptomoedas, de modo que elas se recusam a oferecer suporte a criptomoedas anônimas – como Monero, Zcash e Dash. Isto foi relatado pela Forbes com referência a uma fonte próxima aos reguladores.

De acordo com a publicação, em sua reivindicação, a FSA explica que moedas anônimas podem ser utilizadas para lavar dinheiro e outras atividades ilegais. Além disso, um dos maiores medos do regulador é o de que essas moedas tornam impossível a identificação de seus usuários.

“Vale à pena levantar a questão de saber se qualquer corretora regulamentada deve ser autorizada a usar tais moedas”, diz a Forbes, citando as palavras de um representante anônimo da FSA.

O regulador tem um interesse especial no Monero – que pode se dar a relatos sobre o interesse do governo norte-coreano de utilizá-lo como um instrumento para contornar as ações econômicas.

Também foi apontado que não há proibição oficial do uso de criptomoedas anônimas no Japão.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment