Corretoras sul-coreanas serão obrigadas a conseguir licenças baseadas na BitLicense

As corretoras de criptomoedas da Coréia do Sul receberam um enorme lucro com taxas de comissão em 2017 – 700 bilhões de won (US$648 milhões), enquanto em 2016, esse valor foi de 8 bilhões de won. Em apenas um ano, o lucro cresceu em cerca de 85 vezes.

Publicado em 13 de Fevereiro de 2018 por

O governo sul-coreano está discutindo a criação de um sistema de licenciamento para as corretoras de criptomoedas com base no modelo da BitLicense, desenvolvido pelos legisladores estaduais de Nova York. Isso foi publicado pelo Business Korea.

De acordo com representantes do principal grupo de trabalho, esse sistema pode ser usado como uma medida de regulação adicional do mercado das criptomoedas.

Publicidade

Publicidade

“Provavelmente, aderiremos ao modelo adotado no estado de Nova York, que permite a emissão seletiva de licenças”, explicaram.

Vale notar que em Nova York, a BitLicense se provou ineficaz – muitas criptomoedas consideraram seus requisitos muito rígidos e se recusaram a prestar serviços no estado. De acordo com o Business Korea, as corretoras sul-coreanas provavelmente não terão essa escolha.

“Quando o país mudar para o modelo de Nova York, poderá inserir as criptomoedas no sistema institucional, bem como estabelecer uma supervisão adequada sobre o mercado de criptografia”, acredita a publicação.

O novo sistema de licenciamento já foi avaliado positivamente pelo Ministério da Estratégia e Finanças. Presumivelmente, ele será implementado após as eleições locais de junho.

Lembre-se de que, em abril de 2017, um dos membros mais antigos da Fundação Bitcoin, Theo Chino, afirmou que pretende impor o cancelamento da BitLicense.

Chrys

Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment