Da concepção até os dias atuais. Entenda a ETF

A ETF Bitcoin do irmãos Winklevoss tem movimentado o mercado e mexido com o imaginário do investidor de criptomoedas em especial os do Bitcoin.

Publicado em 10 de março de 2017 por

Uma decisão iminente que tem estado em todos os grandes jornais do mundo, esta deixando analistas econômicos em polvorosa e mantem toda a comunidade de cripto no mais completo suspense, sim estamos falando dela mesma a ETF Bitcoin dos gêmeos Winklevoss.

A proposta inicial foi feita em 2013, e esteve sujeita a uma serie de comentários públicos e flutuação do cambio, a ETF, um fundo de negociação na bolsa, aguarda uma decisão final da Securities and Exchange Commission (SEC), que esta analisando a proposta e deverá se pronunciar ate segunda feira, dia 13 de março.

Publicidade

Publicidade

Enquanto a maioria no espaço de moeda digital provavelmente conhece os ins-and-outs da história ETF, aqueles que não estão tão familiarizados com ela podem não entender todos os detalhes neste recurso, por isso vamos te contar a saga da ETF de Bitcoin desde sua concepção ate os dias atuais.

Winklevoss na olimpíada de 2008.

No início

Antes de entrar na historia da ETF Bitcoin propriamente dita vamos conhecer um pouco mais sobre os irmãos Winklevoss, e entender talvez o que os motiva.

Ambos são graduados da Universidade de Harvard, os dois participaram dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008 na competição de remo masculino, onde avançaram para as finais e, finalmente, terminando a competição em sexto lugar, de acordo com a ESPN.

Outro grande evento em seus dias pré-Bitcoin foi a batalha legal, agora infame, cotra o fundador do Facebook, Mark Zuckerberg, documentado no filme de 2010, A Rede Social.

Quando em Harvard, os Winklevoss conceberam uma rede social, em última análise, apelidada de ConnectU, para a qual eles começaram trabalhando com Zuckerberg. No entanto, Zuckerberg logo abriu a plataforma Facebook, o que provocou a luta legal que resultou em um acordo de US$ 65 milhões.

No entanto, foi a sua aposta no Bitcoin – revelada no início de 2013 – que os levou ao momento atual – aguardando a decisão da SEC – durante esse tempo, os gêmeos acumularam uma imensa quantidade de Bitcoins, os dois juntamente com outros grandes investidores da moeda podem ser considerados a vanguarda do Bitcoin.

Vários meses depois, seu primeiro S-1 foi arquivado junto à SEC, registrando formalmente sua intenção de lançar um ETF amarrado ao Bitcoin.

O Caminho ate a ETF

Foi nesse depósito inicial que o argumento fundamental para a existência da Fundação foi apresentada pela primeira vez. Simplificando, o produto foi lançado como uma maneira para os investidores mais experientes ganharem exposição ao Bitcoin sem ter de comprar e deter a moeda digital.

Como explicado na apresentação:

“O objetivo de investimento do fundo é de que as ações reflitam o desempenho do Preço do Bitcoin, menos as despesas de operações da Trust. As Ações são projetadas para investidores que procuram um meio de custo-eficaz e conveniente para ganhar exposição aos Bitcoins com o risco de crédito mínimo”.

Então, como muitas outras coisas no espaço bitcoin, o colapso do câmbio do Bitcoin com o escândalo da Mt Gox, empresa sediada no Japão desencadeou uma pequena, mas significativa mudança na forma como a ETF seria construída.

A Mt Gox foi o intercâmbio Bitcoin mais volumoso do mundo antes que se desfizesse em meio a acusações de fraude, levando à eventual prisão de seu CEO no ano passado.

No rescaldo do fracasso da Gox, uma emenda foi apresentada à FEF S-1, que mudou o índice de preços que a ETF usaria para determinar o preço de um Bitcoin. A Winkdex proprietária foi adotada, substituindo o modelo antigo com base em média ponderada nos preços de várias bolsas de Bitcoin.

Em 2014, a dupla confirmou que sua intenção inicial era de listar a ETF na bolsa de valores NASDAQ OMX exchange sob o símbolo “COIN”.

 Nessa mesma época os irmãos tiveram de adicionar novos fatores de risco a sua aplicação, como a possibilidade de um ataque de 51% na rede do Bitcoin.

Observar e esperar

Enquanto aguardavam a as decisões sobre a ETF os irmãos investiram seu tempo na aprovação de uma corretora de Bitcoins, preparando o palco para o lançamento da Gemini sua exchange de moeda digital.

Durante o verão do ano passado, em meio ao caos criado pela fundação Ethereum e seu infame The DAO e o corte de cambio da Bitfinex, o calculo para a ETF dos Winklevoss mudou significativamente.

Uma nova apresentação em junho revelou um novo plano para a estreia do produto nas Bats BZX Exchange. O âmbito da oferta também se expandiu a partir de um inicial de US$ 20 milhões para US$ 65 milhões. Este pedido levou a mais atrasos no outono passado, desencadeando uma chamada a partir da SEC em outubro para mais comentários públicos, buscando uma maior participação das partes interessadas e dos críticos da ideia.

A SEC foi adiando sistematicamente a decisão, e agora com o vencimento de seu prazo máximo o parecer tão aguardado é esperado para o dia 13 de março do de 2017.

Desde então, no entanto, o âmbito da oferta da ETF proposta ampliou ainda mais, passando de US$ 65 milhões para US$ 100 milhões, ao mesmo tempo, reduzindo a oferta máxima por cotação de US$ 65 a US$ 10. Uma proposta de mudanças foi detalhada em fevereiro, nela foram incluídos itens sobre riscos de um fork na rede, e da contingencia rígida de ter duas blockchains partilhando o histórico das transações do Bitcoin.   

A contagem regressiva

Esses fatos nos trazem até os dias atuais, durante os quais os observadores do mercado, as partes interessadas, entusiastas do Bitcoin e potenciais investidores estão observando os céus em busca da palavra da SEC.

Essa determinação está prevista para ser revelada hoje (mais tardar segunda feira, pois os regulamentos da SEC pregam que se o dia em termina o prazo for um sábado, domingo ou feriado federal, a data será o próximo dia útil ), de acordo com uma fonte com conhecimento do trabalho da agência, no entanto, até o momento, a SEC tem mantido silêncio sobre a sua decisão.

Enquanto isso, os comerciantes de Bitcoin estão se preparando para um possível aumento no volume – e a volatilidade – quando os mercados reagem de uma forma ou de outra, e pelo menos um fundo de hedge que investe em Bitcoin mudou-se para reduzir a sua exposição ao mercado.

Mas até que seja tomada a decisão, todos os olhos estão voltados para a SEC.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment