Os serviços especiais dos EUA ofereceram um acordo ao cidadão russo Alexander Vinnik, que foi preso na Grécia por suspeita de lavar US$4 bilhões através da corretora BTC-e. Como uma fonte informada disse à RIA Novosti, os Estados Unidos supostamente garantem a Vinnik um prazo mínimo de prisão em troca de confissão de culpa.

Em 4 de setembro, a Suprema Corte da Grécia decidiu extraditar Alexander Vinnik, suposto coproprietário da corretora BTC-e, para a Rússia, onde ele é suspeito de crimes no campo da segurança cibernética. Como Timofey Musatov, o advogado do russo, disse à RIA Novosti, a decisão entrará em vigor em 14 de setembro.

Segundo ele, o caso foi rapidamente posto em conformidade com a lei grega e a consideração do pedido do Gabinete do Procurador-Geral da Rússia não levou muito tempo.

“Agora está com os políticos”, acrescentou Musatov.

A mesma composição de juízes considerará hoje um recurso contra a decisão do tribunal de primeira instância de extraditar Vinnik para a França.

Vale notar que até o momento, quatro decisões judiciais foram tomadas sobre a extradição de Vinnik: uma delas a pedido dos Estados Unidos, duas a pedido da Rússia e uma a pedido da França. A decisão final no caso será feita pelo Ministro da Justiça da Grécia.

Por fim, lembramos que anteriormente Timofey Musatov alegou que a França havia realizado um interrogatório ilegal de seu cliente. É possível ler mais sobre isso aqui.