Desenvolvedor do Bitcoin Core apela à SEC por BIT

O desenvolvedor do Bitcoin, Jimmy Song, acredita que a maioria das previsões para o resultado do hardfork SegWit2x são incorretas.

Publicado em 2 de outubro de 2017 por

Matt Corallo, um desenvolvedor de longa data do Bitcoin, postou um comentário no United States Securities and Exchange Comission (SEC) a respeito da mudança de regras proposta relacionada à listagem e negociação de ações do Bitcoin Investment Fund (BIT) sob a Regra 8.201 da Nyse Arca Equities. No post, Corallo expressa “graves preocupações” referentes à “falta de proteção aos consumidores” oferecida aos investidores no evento de fork da rede Bitcoin. O comentário gerou várias reações nas redes sociais, sendo que alguns acusavam o desenvolvedor de apelar ao aparato institucional que o Bitcoin originalmente lutou para contornar e superar.

Comentário a respeito do BIT postado por Matt Corallo, um desenvolvedor de longa data do Bitcoin Core, chama atenção significativa

Publicidade

Publicidade

O comentário foi feito considerando regras propostas que governam a listagem e compartilhamento de ações do BIT. Ele foca nas ramificações de futuros forks em potencial com a gestão do BIT dos fundos dos clientes.

Corallo afirma que possui “graves preocupações com as regras propostas para a manutenção de depósitos de Bitcoin e a falta de proteção aos consumidores no evento de mudanças de regras na rede Bitcoin nos arquivos atuais.” Corallo descreve um “fork permanente” como “ocorre[ndo] quando um grupo de usuários deseja fazer uma mudança nas regras de consenso do Bitcoin, enquanto outro grupo não o faz. Isso leva à duas criptomoedas e pode gerar uma significativa ambiguidade em torno de qual deve ser chamada de ‘Bitcoin’”. O post então expressa preocupações de que sob as atuais vias legais, o BIT pode “selecionar um Bitcoin em consulta com o Provedor de Índices” no evento de um fork.

Corallo enfatiza que o Digital Currency Group (DCG), o único dono do BIT e um investidor no TradeBlock (Provedor de Índice do BIT), pode ser capaz de “mudar significativamente o valor de uma criptomoedas sobre a outra. Como um investidor em inúmeras startups de Bitcoin, o DCG possui um forte incentivo para encorajar mudanças de regras e a adoção de criptomoedas que beneficiem as companhias de seu portfólio e sua própria operação. Eles podem indeferir mudanças que beneficiem os investidores nos Produtos Negociados em Bolsa propostos”. O desenvolvedor também criticou o fato de que “o DCG não está explicitamente impedido de negociar o valor de diferentes criptomoedas antes do anúncio da decisão do BIT quanto à que fork receberá a futura atenção da proposta do Bitcoin e do capital de seus investidores”.

Muitos viram o comentário como uma tentativa de subjugar a descentralização do Bitcoin

Por último, Corallo se dirige ao exemplo do fork “Ethereum/Ethereum Clássico”, argumentando que “o DCG investiu fortemente em um lado do fork, quase totalmente em desacordo com o restante da base de usuários, negócios e intercâmbios do Ethereum. Se o DCG possuísse, neste momento, o Patrocinador de um ETP de Ethereum sob as regras propostas para o ETP do BIT, ele estaria livre para – e de forma totalmente justificável sob a S-1 – declarar que o ETP detém apenas Ethereum Clássico, potencialmente para seu próprio ganho e para a confusão significativa do mercado.” Esse exemplo é diretamente associado à proposta do fork Segwit2x, com Corallo afirmando que “DCG e algumas das companhias de seu portfólio têm promovido de maneira repetitiva o Segwit2x” – implicando que o exemplo hipotético se estabeleceu no exemplo do Ethereum/Ethereum Clássico pode se tornar uma realidade em potencial nos próximos meses.

A implicação é de que desenvolvedores do Bitcoin Core estão apelando à SEC para mitigar riscos potenciais de mercado com um apoio fundamental ao código do Bitcoin – a habilidade de forkar a rede tem sido percebida por muitos para englobar um ataque à habilidade da comunidade do Bitcoin de exercer autonomia em determinar a direção futura do projeto. Um redator postando sob o pseudônimo de “cryptokids” avança com essa posição, afirmando que “a habilidade de forkar está no código, é uma parte do conceito do Bitcoin. Falta de controle central e competição é uma característica definitiva e purifica o código, mantendo todos honestos e forçando a chain a se adapatar à demanda ou perecer. ‘Proteção’ da SEC é proteção da inovação e das demandas da comunidade”.

 

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment