Os desenvolvedores do Bitcoin Core, Gregory Maxwell, Andrew Poelstra, Yannick Seurin e Peter Welle, publicaram o White Paper a respeito da introdução do esquema de autenticação e assinatura eletrônica Shnorr ao protocolo Bitcoin para resolver o problema da escala.

A equipe de desenvolvimento do Bitcoin Core planeja tomar medidas para proteger os fundos dos usuários de ataques como o В2Х (SegWit2x). Isso foi secrito no Reddit por um usuário chamado “logical”.

Conforme observado na postagem, o ataque do B2X baseia-se no fato de que o software das carteiras de Bitcoin percebe o SegWit2X como uma cadeia válida. Os desenvolvedores da B2X eliminaram intencionalmente a proteção contra a rerodução das transações, sendo que o código foi modificado de forma que simule sinais dos nós do Bitcoin Core.

No momento, os desenvolvedores estão trabalhando em uma proteção que assegure mais segurança de operação do nó no nível P2P após o fork. Contudo, quais exatamente são as medidas em questão, não foi especificado.

Ao mesmo tempo, ressalta-se que a proteção funcionará somente com o uso do software original do Bitcoin Core. Se o usuário não planeja fazer transações antes e depois do fork, a melhor solução será manter as chaves privadas em um lugar seguro e usá-las quando a situação se tornar mais tangível.

O autor do tópico também adverte sobre o possível perigo de usar carteiras “fáceis” para fazer transações durante o fork, pois os usuários podem receber moedas B2X – alguns clientes não podem distingui-las do Bitcoin original. Além disso, o autor ressalta a importância de evitar armazenar os fundos nas Exchanges.

Lembramos que, em uma entrevista com a ForkLog, o CEO da Blockstream, Adam Back, já havia advertido sobre os perigos e riscos que poderão surgir durante o hardfork SegWit2x.