Empresa sul-coreana Nayana pagará mais de US$1 milhão em Bitcoins à cibercriminosos

A empresa de hospedagem sul-coreana Nayana concordou em pagar cerca de US$ 1,1 milhão em Bitcoins para cibercriminosos que bloquearam 150 servidores pertencentes à empresa usando um vírus criptográfico.

Publicado em 20 de junho de 2017 por

A empresa de hospedagem sul-coreana Nayana concordou em pagar cerca de US$ 1,1 milhão em Bitcoins para cibercriminosos que bloquearam 150 servidores pertencentes à empresa usando um vírus criptográfico. Isso foi relatado pela Nag.ru.

Como resultado do ataque, quase 3,5 mil sites de clientes ficaram inacessíveis.

Publicidade

Publicidade

“Nós negociamos com hackers e agora estamos preparando o dinheiro para comprar os Bitcoins e assim restaurar o trabalho de nossos servidores sequestrados”, disse o chefe da empresa, Hwang Chilhon.

Escolha complicada

Apesar dos especialistas em segurança em informação acreditarem que, por meio de suas ações, a Nayana, vai fazer com que outros hackers se interessem pela Coréia, a empresa afirma que não tem outra opção.

De acordo com um representante da Nayana, a empresa entende perfeitamente que é contra a lei pagar o resgate. No entanto, a decisão de negociar com os sequestradores era a única opção que tinham, pois, de outra forma, a empresa põe em risco centenas de milhares de pessoas que trabalham para seus clientes. Os serviços da Nayana são utilizados principalmente por pequenas organizações e startups.

Publicidade

Publicidade

“A decisão de Nayana cria um precedente muito ruim e trás a ameaça de que outros hackers no futuro pensem em hackear outras empresas de hospedagem no país”, disse Shin De-kew, chefe do departamento de resposta a incidentes da internet na Agência de Segurança da Internet da Coréia.

Além disso, não há garantias de que depois de pagos, os hackers restaurarão os dados nos servidores.

“Negociar com os sequestradores é a pior decisão que se pode tomar. Se os atacantes não descriptografarem os dados, a empresa não poderá fazer nada”, disse Lim Chon-in, professor de cibercrimes na Universidade de Seul, na Coréia.

Ele também acrescentou que as autoridades não deveriam considerar o incidente como um incidente particular e pediram todos os esforços para encontrar os intrusos e prevenir novos ataques.

A Korea Internet Security Agency (KISA) disse que começará a pesquisa sobre a recuperação de dados criptografados para reduzir o dano causado pelos hackers. A KISA também anunciou que eles planejam se juntar ao projeto da Europol “No More Ransom”, no qual as vítimas de extorsionistas podem usar o banco de dados atualizado de programas de descodificadores gratuitos para decifrar seus arquivos.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment