Entendendo a Análise Gráfica

Nesse segundo artigo sobre análise gráfica, falaremos sobre alguns dos conceitos mais básicos e mais importantes dessa metodologia: suporte e resistência. Compreender o que são, como funcionam e as formas de usar esses princípios é fundamental para as tomadas decisão no mercado.

Publicado em 20 de Abril de 2018 por

O que é e como pode ser utilizada?

A análise gráfica ou técnica é o método mais utilizado por investidores (traders), pois por meio dela, é possível verificar padrões dos preços de mercado. Ou seja, através dos movimentos dos ativos explicitados nos gráficos é possível superintender o comportamento da oferta e da demanda e, a partir daí, monitorar a tendência do ativo.

Ademais, além da movimentação dos preços, a análise técnica comporta diversas outras ferramentas que podem ser utilizadas para auxiliar acionistas em operações de mercado com padrões definidos e até mesmo em mercados sem tendência. Por fim, a análise técnica pode gerar subsídios fundamentais a respeito do timing (melhor momento de entrada e saída). Dessa maneira, essa metodologia pode fornecer dados capazes de guiar os investidores na questão de quais ativos oferecem melhores oportunidades e de quando iniciar ou encerrar uma operação.

Tipos de gráficos

Gráfico de linha

Esse é o gráfico mais despretensioso e também o que fornece menos dados. Apesar disso, ele é um bom indicador de topos e fundos. Esse tipo de gráfico apresenta de maneira simples uma linha que liga os valores de fechamento do período. No entanto, através do gráfico de linha não é possível obter outras informações como os gaps, por exemplo.

Entendendo a Análise Gráfica. BTCSoul.com

Topo é o ponto mais alto de uma movimentação em um gráfico, o qual antecede um movimento de queda. Nesse caso, ele indica a que ponto os preços deixaram de subir e começaram a cair.

Fundo, ao contrário do topo, é o ponto mais baixo de uma movimentação. Antecedido por um movimento de alta, o fundo indica em que ponto os preços inverteram um movimento de queda e passaram a subir.

Gap é um termo em inglês que significa distanciamento. São brechas que surgem nos gráficos de cotação. Por exemplo, o fechamento de um período gráfico em sua máxima a R$5,00, com abertura do período em R$5,20 no dia seguinte, deixou uma brecha de R$0,20 sem negociações. Esse gap será considerado fechado somente algum tempo após a abertura quando houver uma negociação igual ou menor que R$5,00.

 Gráfico de barras 

O gráfico de barras é composto por barras verticais nas quais há duas pequenas linhas horizontais, uma à esquerda e outra à direita. Os comprimentos das barras verticais indicam a variação entre o valor máximo e mínimo atingidos em um determinado período ou enquanto o traço à esquerda indica o valor de abertura e o traço à esquerda indica o valor de fechamento do período.

Entendendo a Análise Gráfica. BTCSoul.com

Candlesticks

Os gráficos de candlesticks ou de candles, como podem ser chamados, possuem esse nome pois seus elementos são muito semelhantes às velas caseiras. Esse tipo de gráfico basicamente fornece as mesmas informações do gráfico de barra, no entanto, por possuir características que tornam mais fácil a visualização dos dados nele exprimidos, é o modelo mais usado por analistas e investidores.

Entendendo a Análise Gráfica. BTCSoul.com

Nos gráficos de candles, os comprimentos das barras indicam a variação entre o preço de abertura e fechamento. Logo, quanto maior a diferença entre esses dois preços, mais longa será a barra. Uma especificidade é que existem cores diferentes para dias onde houve queda ou alta em relação ao valor de abertura. Geralmente, em períodos de alta, a cor da candle é verde e para queda, vermelho. Porém, isso pode variar, e ao invés de cores distintas, o gráfico pode apresentar candles vazadas para alta e preenchidos para queda.

Outra característica singular desse tipo de gráfico é que as barras exibem na parte superior e/ou inferior um elemento chamado pavio, que representam o valor máximo do ativo num determinado período de tempo se localizado no topo do candle ou o valor mínimo quando localizado abaixo do candle. Essas especificidades dos gráficos de candlesticks facilitam, por exemplo, a visualização dos topos e fundos.

Esse artigo foi escrito pela economista Gabrielle de Souza Couto

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment