Estudo: 54% das corretoras de Bitcoin tem problemas de segurança

Publicado em 3 de outubro de 2018 por

Especialistas da ICO Rating analisaram 100 corretoras criptomonetárias com volumes de negociação diários de mais de US$1 milhão e concluíram que a maioria delas tem vários problemas de segurança.

O relatório aponta:

  • 41% das plataformas de negociação permitem o uso de senhas com menos de 8 caracteres;
  • 37% das plataformas permitem senhas constituídas inteiramente de números ou letras;
  • 5% das corretoras permitem criar contas sem verificação prévia por e-mail;
  • 3% dos sites não conta com a possibilidade de ativação da autenticação de dois fatores (2FA).

Todos os problemas acima estão ausentes apenas em 46% das corretoras criptomonetárias. Adicionalmente, apenas 4% delas possuem um alto nível de segurança de domínio. 10% das plataformas de negociação usam o DNSSEC, um conjunto de extensões IETF e protocolo DNS para minimizar os ataques relacionados à substituição de endereços ao liberar nomes de domínio.

A Coinbase Pro é o líder da classificação, com uma pontuação de segurança agregada de 89.

Estudo: 54% das corretoras de Bitcoin tem problemas de segurança. BTCSoul.com

Ela é seguida pela Kraken, que marcou 80 pontos dos 100 possíveis. As próximas na lista são a BitMEX e a sul-coreana GOPAX. A Binance ficou em 17º, a Bittrex em 13º e a Bitfinex em 54º lugar. A corretora japonesa Zaif, que foi recentemente hackeada, ficou em 29º lugar na classificação. 

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment