Estudo: 71% das corretoras permitem uso de senhas fracas

Desenvolvedores do gerenciador de senhas, Dashlane, publicaram um estudo no qual analisaram a auditoria da confiabilidade das senhas de usuários por meio de corretoras de criptmoedas. Como resultado, foi concluído que a grande maioria (mais de 70%) das plataformas de negociação de ativos digitais permite o uso de senhas fracas, o que torna as contas de usuários extremamente vulneráveis a invasores.

Publicado em 27 de Março de 2018 por

Desenvolvedores do gerenciador de senhas, Dashlane, publicaram um estudo no qual analisaram a auditoria da confiabilidade das senhas de usuários por meio de corretoras de criptmoedas. Como resultado, foi concluído que a grande maioria (mais de 70%) das plataformas de negociação de ativos digitais permite o uso de senhas fracas, o que torna as contas de usuários extremamente vulneráveis a invasores.

Representantes da Dashlane realizaram um experimento comparando plataformas de negociação baseando-se em cinco critérios criticamente importantes para senhas e contas.

Assim, de acordo com a visão da empresa, apenas algumas plataformas de negociação conformam com todos os padrões necessários: Coinbase, Gemini, BitMEX, Cobinhood, Cryptopia e Paxful.

Note que corretoras como a Poloniex, EXMO, OKEx, Changelly, CoinExchange e Simex ficaram fora da lista. Essas plataformas, como apontado pelos pesquisadores, não cumprem nem metade dos padrões. A CoinsBank demonstrou o pior resultado, tendo cumprido apenas uma das cinco condições necessárias.

Vale à pena notar que 43% das plataformas investigadas permitem que os usuários criem senhas com menos de 8 caracteres, e que por sua vez, 34% das corretoras não exigem senhas alfanuméricas.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment