Estudo: apesar de receita recorde de US$4,7 bilhões, é registrada queda em rentabilidade de mineração de Bitcoin

Publicado em 10 de outubro de 2018 por

As receitas dos mineradores de Bitcoin nos primeiros seis meses de 2018 atingiram um recorde de US$4,7 bilhões. No entanto, a crescente competição e complexidade dos cálculos tornam a Primeira Moeda menos lucrativa e colocam os pequenos players em desvantagem. Isso foi afirmado no novo estudo da empresa analítica Diar.

Vale ressaltar que os números para o primeiro semestre de 2018 são US$1,4 bilhão maiores que os valores para todo o ano de 2017, enquanto os próprios mineradores ganham cerca de 54 mil BTC por mês.

Apesar disso, em setembro, segundo analistas, aqueles forçados a pagar pela eletricidade a preços de varejo, pela primeira vez nos últimos anos ficaram com prejuízo.

Estudo: apesar de receita recorde de US$4,7 bilhões, é registrada queda em rentabilidade de mineração de Bitcoin. BTCSoul.com

Estudo: apesar de receita recorde de US$4,7 bilhões, é registrada queda em rentabilidade de mineração de Bitcoin. BTCSoul.com

No momento, um dos poucos países onde o custo da eletricidade ainda justifica a mineração de Bitcoin em termos comerciais, é a China, com um preço médio de US$0,08 por kWh. No entanto, a atual taxa de Bitcoin, que permanece no mesmo nível durante a maior parte de 2018, o custo de equipamentos, salários e outras despesas tornam a mineração de Bitcoin quase não lucrativa para pequenas empresas.

De acordo com a Diar, apenas grandes pools, controladas pela Bitmain, ainda podem ganhar dinheiro com a mineração de Bitcoin. No entanto, de acordo com os dados da própria Bitmain, 95% das receitas da empresa vêm das vendas de equipamentos, e não da própria produção de criptomoedas.

Além disso, a fim de reduzir os custos de eletricidade e preservar a rentabilidade de sua fazenda, a Bitmain será forçada a distribuir seu poder de computação entre diferentes países. Em particular, no primeiro trimestre de 2019, a empresa planeja abrir três novos centros de dados nos Estados Unidos.

“Com baixos custos de energia para as principais empresas de mineração industrial que operam com lucro de 50 a 60%, ainda há espaço para o crescimento do mercado, mas os lucros continuarão a cair. Hoje, e é muito provável que a tendência continuará no futuro, a mineração de Bitcoin está se tornando cada vez mais um negócio de grandes empresas com grandes capacidades financeiras”, concluíram os pesquisadores.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment