Estudo: mais da metade das corretoras na Europa e nos EUA negligenciam identificação do cliente

Mais de 20 países da UE assinaram, nesta segunda-feira, 9 de abril, uma declaração sobre o estabelecimento de uma parceria europeia no campo das tecnologias de Blockchain. Isto foi relatado pela RIA-Novosti com referência ao serviço de imprensa da Comissão Europeia.

Publicado em 7 de junho de 2018 por

Cerca de 68% das corretoras e carteiras criptomonetárias que trabalham no território da União Européia e dos EUA não oferecem aos seus clientes o procedimento de verificação da conta no momento do cadastro. Isto foi evidenciado por dados de um estudo realizado pelo desenvolvedor de soluções no campo de identificação digital, Mitek, e pela empresa analítica P.A.ID Strategies.

O estudo foi conduzido entre 14 corretoras e 11 carteiras com os maiores volumes de transação, incluindo Kraken, Coinbase, Gemini, Poloniex, Luno, Bonpay e Mercatox, empresas nas quais a identificação dos usuários na maioria das vezes ocorre por confirmação via e-mail e SMS.

Note que, no entanto, pesquisadores sugerem que a situação pode mudar no próximo ano, após a adoção na UE da quinta diretiva sobre o combate à lavagem de dinheiro, que exige identificação completa de seus clientes.

“Para que as carteiras e corretoras de criptomoedas sejam confiáveis em relação ao sistema financeiro tradicional, elas devem se tornar “cidadãos exemplares” da economia”, disse o analista sênior da P.A.ID, John Delvin.

Vale ressaltar que em março, membros do Parlamento Europeu aprovaram emendas à Diretiva sobre combate à lavagem de dinheiro, obrigando fornecedores de carteiras criptomonetárias e plataformas de moedas virtuais a realizar verificações de usuários e monitoramento de transações. O documento também fornece regras mais rígidas para evitar a evasão fiscal.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment