lavagem de dinheiro criptomoedas

Algumas autoridades nos EUA expressaram preocupações alegando que cartéis de drogas e outras empresas criminosas internacionais estão cada vez mais se voltando para as criptomoedas no que se refere a lavagem de dinheiro.

Janice Ayala, da força tarefa conjunta do Departamento de Investigação de Segurança Interna dos EUA mencionou em uma recente audiência que criminosas entidades transnacionais chinesas têm sido responsáveis por um “significativo aumento na lavagem de dinheiro através de criptomoedas”.

Autoridades dos EUA acreditam que empresas criminosas têm mudado para serviços de lavagem de dinheiro na China e Ásia devido à grande quantidade de bens de comércio importados da China, que auxiliam no processo de lavagem de dinheiro.

Uso ilícito de criptos ainda é baixo nos EUA e no mundo

Relatórios do Asia Times ressaltaram que a utilização de criptomoedas ainda é uma parte muito pequena dos US$2 trilhões estimados no que se refere a lavagem de dinheiro. A Agência de Repressão a Drogas dos EUA (DEA, na sigla em inglês) tem escrito sobre como a vulnerabilidade das criptomoedas para branqueamento de capitais continua a emergir. O órgão explicou no Relatório Nacional de Avaliação de Ameaças de Drogas de 2017 que o Bitcoin e outras moedas virtuais [que] permitem que OCTs [Organizações Criminosas Transnacionais] transfiram facilmente procedimentos ilícitos internacionalmente”.

A Agência ressaltou que as OCTs se voltaram para o Bitcoin devido “à sua longevidade e crescente aceitação por negócios e instituições legítimos ao redor do mundo”. Contudo, Yaya Fanusie, da Fundação para Defesa das Democracias disse ao Asia Times que “evidências de crime organizado usando criptomoedas têm sido esparsas”, e notou também que as moedas digitais não estão substituindo “velhos” métodos de lavagem de dinheiro, como dinheiro.

Fanusie indicou que não tem visto muitas evidências de cartéis mexicanos de drogas realmente utilizando criptos. Segundo ele, o relatório da DEA apenas tocou em tendências gerais. Alguns outros países têm dado passos para reduzir os supostos riscos de lavagem de dinheiro relacionados a criptomoedas.

Hora das Agências Legais entenderem as criptos

Fanusie afirmou que criminosos buscando utilizar criptomoedas poderiam abrir múltiplas contas e usar uma variedade de ativos digitais para mover dinheiro em pequenas quantidades, o que geralmente não atrai atenção das autoridades.

Ele declarou que as agências de aplicação da lei precisam enfatizar mais o treinamento de análise de criptomoedas, ao passo que departamentos que lidam com questões cibernéticas também deveriam “aprofundar seu conhecimento” a respeito da tecnologia de Blockchain para acompanhar potenciais esquemas criminosos.