Funcionário da Qiwi minerou 500 mil Bitcoins nos terminais da empresa em 2011

A QIWI Blockchain Technologies, juntamente com a empresa estatal Morsvyazsputnik, revelou planos de criar um sistema de logística para o controle do frete de água.

Publicado em 26 de julho de 2018 por

Durante três meses de 2011, um funcionário da Qiwi minerou 500 mil Bitcoins nos terminais de autoatendimento da empresa.

O serviço de segurança da empresa percebeu que à noite, os terminais transmitiam informações e que sua carga aumentava.

Demorou três meses para encontrar o “culpado” – acontece que o diretor técnico da Qiwi instalou aplicativos para mineração de Bitcoins nos terminais.

O diretor da Qiwi exigiu o retorno dos Bitcoins, argumentando que os recursos da empresa eram usados para sua extração, contudo, o minerador se demitiu sem cumprir o pedido do chefe. Seu paradeiro permanece desconhecido.

Segundo Sergei Solonin, a empresa não sofreu perdas diretas das atividades do ex-funcionário. No entanto, os arrendatários dos terminais que pagam pela eletricidade poderiam ficar no prejuízo.

Depois de expor o funcionário da Qiwi, Solonin ordenou o lançamento da mineração em todos os terminais da empresa. No entanto, a ideia não pôde ser concretizada, uma vez que no momento da restauração dos aplicativos, o processo de mineração de Bitcoins tornou-se complicado demais e os terminais simplesmente não conseguiam lidar com essa tarefa.

Vale ressaltar que atualmente, o valor dos Bitcoins minerados pelo funcionário da Qiwi é de mais de US$4 bilhões.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment