GBMiners: Pool de mineração indiana obtém 5% do hash do bitcoin

Pool indiana veio pra ficar, assumindo 5% do hash do bitcoin a GBMiners garante que veio não só para ficar, mas tambem para revolucionar a mineração do btc.

Publicado em 23 de novembro de 2016 por

A Índia não é exatamente o melhor lugar para operações de mineração, mas ainda assim uma jovem startup planeja lutar independentemente das dificuldades. A GBMiners, uma pool de mineração de bitcoin, que minerou seu primeiro bloco em agosto, agora está entre as mais agressivas pools da criptomoeda.

Hoje ela acumula mais de 5% de todo o hash do bitcoin, e irá muito além com sua estratégia para o sucesso. Em uma discussão, Amit Bhardwaj, o principal apoiador e especialista financeiro da GBMiners, preocupado em instruir as massas sobre o bitcoin, continuou falando sobre as dificuldades de ser um aficionado em bitcoin na Índia, quando relembra a primeira vez que comprou a moeda virtual:

Publicidade

Publicidade

“O bitcoin ainda encontra-se em sua infância na Índia. Aqui as pessoas têm mais ceticismo do que conhecimento sobre o conceito, mas assim que essa barreira for superada, a comunidade do Bitcoin irá testemunhar tanto a demanda quanto a adoção da 3.ª maior economia do mundo e do maior mercado mundial de remessas internas,” disse ele.

Bhardwaj ainda incluiu que o objetivo da pool é de fazer dos usuários do bitcoin parte do processo de criação ao invés de apenas forçá-los a serem meros comerciantes. O ponto defendido pela GBMiners, conforme ele expressou, é o de persuadir corretores e analistas à colocarem seus recursos nas operações de mineração. Isso auxiliará os especialistas financeiros a entender o ramo, e também lhes dará mais base com relação às vantagens tecnológicas e conservadoras do bitcoin.

Nikunj, outro forte apoiador da GBMiners, salientou que adquirir 5% do hash do bitcoin não foi uma tarefa simples. Ele disse que foram encontrados diversos problemas, especialmente no que diz respeito ao desenvolvimento da infraestrutura de mercado entre as pools mineradoras de bitcoin.

Publicidade

Publicidade

Dito isto, a GBMiners auxilia os corretores de bitcoin fazendo algo mais lucrativo do que simplesmente especular seus investimentos em hipóteses, ou seja, colocando seus recursos em operações de mineração. Uma pool proficiente, que é controlada por indivíduos sólidos, em seu país, com certeza dá para estes especialistas financeiros a confiança necessária de que haverá retorno.

“Nós começamos colocando nossos servidores de teste lado a lado com várias pools existentes e analisamos de perto a eficácia delas. Esses teste nos deram ideias de possíveis melhoras, e nós ficamos bem satisfeitos com a eficiência que conseguimos atingir com a GBMiners. Não posso explicar em detalhes aqui, mas logo lançaremos nossos resultados em um white paper para a comunidade mineradora”.

mining

A opção do governo indiano com relação às criptomoedas, sem dúvidas ajudou o crescimento do bitcoin no país, com as negociações mostrando um maior interesse doméstico na moeda virtual. De qualquer forma, o desenvolvimento do bitcoin na crescente economia sul asiática foi previsto desde o começo.

Enquanto alguns países dão mais vantagens e abrem caminho para as criptomoedas, outros já não partilham desta filosofia, colocando obstáculos, reduzindo esforços e caminhos para legislações e certificação de uma tecnologia que veio para ficar. Certamente há um gosto no ar de princípio dos tempos da internet, quando ninguém sabia ao certo o que fazer, apesar de querer controlar de qualquer forma a “coisa nova”.

Mercados emergentes que estão na ponta da evolução tecnológica das blockchains e moedas virtuais contam com o Japão, que já reconhece o BTC como moeda, a Austrália, onde se pode pagar desde pão até impostos com a cripto, e a Estônia, para onde é possível mover toda sua vida financeira com o auxílio da blockchain.

A blockchain e o Bitcoin vieram para ficar, não importando se os governos são totalitaristas demais para dizer sim, a tecnologia foi feita para evitar este tipo de negação. Enquanto existir internet livre, ou até mesmo “semi-aberta”, a blockchain e o bitcoin estarão lá.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment