O gigante japonês GMO Internet anunciou sua intenção de assumir liderança na esfera da mineração de criptomoedas. Para este fim, um escritório separado será aberto no norte da Europa.

A partir de março de 2018, mais de 4 mil funcionários do GMO Internet Group começarão a poder receber parte do salário em Bitcoin, relata a Finance Magnates.

A notícia de que a empresa começará a pagar salários em Bitcoin também está disponível no site oficial da empresa japonesa:

“O Grupo GMO Internet decidiu implementar um sistema que permitirá que seus funcionários recebam parte do salário em Bitcoin para popularizar as criptomoedas [entre funcionários]”, afirmou a companhia.

O pagamento mínimo em Bitcoin é de 10 mil ienes (US$ 88); o pagamento máximo é de 100 mil ienes (US$ 881). A transferência de parte do salário em BTC será realizada seguindo a taxa de câmbio da moeda na OGM. Espera-se que os funcionários que registrem uma conta no site “possam receber os Bitcoin no dia do salário”.

O Grupo é especializado em publicidade online, infraestrutura de internet, segurança cibernética e no campo do entretenimento móvel. Sua divisão de corretagem, GMO Click Securities, é o maior fornecedor mundial de volumes de negociação Forex desde 2012.

Lembre-se de que a gigante japonesa da Internet anunciou a entrada no mercado de operações de criptografia no início de 2017. A Cromo, sua corretora de criptomoedas começou a trabalhar no início de junho.