O Governo da Rússia aprovou o programa “Economia Digital”

O programa determina os objetivos e os prazos para a implementação de medidas de políticas públicas para criar condições para o desenvolvimento da economia digital na Rússia.

Publicado em 3 de agosto de 2017 por

O primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, aprovou o programa “Economia Digital”, agendado para entrar em completo vigor até 2024. Isto foi relatado pelo serviço de imprensa do governo russo.

O programa determina os objetivos e os prazos para a implementação de medidas de políticas públicas para criar condições para o desenvolvimento da economia digital na Rússia.

Publicidade

Publicidade

“Transformar a economia para uma ‘potência’ é uma questão de nossa competitividade global e segurança nacional”, disse Medvedev.

Em geral, a Rússia planeja usar novas tecnologias, incluindo a blockchain, em oito áreas:

– Regulamentação estadual;

Publicidade

Publicidade

– Infraestrutura da informação;

– Pesquisa e desenvolvimento

– Pessoal e educação;

– Segurança da Informação;

– Administração pública;

– Cidade inteligente;

– Saúde digital.

Regulamentação estadual

Até 2018 a Rússia deve, a nível legislativo, consolidar os conceitos básicos e os princípios de regulamentação da economia digital e as responsabilidades dos principais participantes na atividade econômica.

“Além de eliminar as restrições legislativas existentes, teremos de desenvolver uma lei abrangente que regulará os problemas da economia digital. O trabalho começará neste verão, após a aprovação de um plano de ação detalhado. Essa lei revolucionará a lei”, disse o vice-ministro do Desenvolvimento Econômico, Savva Shipov.

Infraestrutura de informação

Até 2020, espera-se um aumento significativo no número de patentes para invenções no campo da tecnologia da informação. Para que isso ocorra, a Rússia pretende fornecer incentivos fiscais às empresas envolvidas no desenvolvimento de tecnologias modernas.

Será introduzido um sistema de interação entre institutos de pesquisa, universidades e empresas. Nesse âmbito, haverão empresas de alta tecnologia, cujo desenvolvimento poderá entrar no mercado global.

Pesquisa e desenvolvimento

O termo-chave da nova economia será “plataforma digital” – um modelo de negócios de alta tecnologia que gera lucro através do intercâmbio entre grupos independentes de participantes. O exemplo mais simples de tal plataforma é o táxi Uber ou o serviço Airbnb.

Trabalhando em uma única plataforma digital, as empresas podem compartilhar seus produtos e experiência – carregá-los para um servidor remoto, para uma “nuvem”, e etc.

Pessoal e Educação

A partir de 2019, os estudantes russos começarão a aprender os conceitos básicos de TI. O tema será introduzido no currículo escolar, e será conduzido por especialistas do setor de economia real.

A geração mais velha terá a oportunidade de reciclar seus conhecimentos profissionais no campo de TI, o que evitará o desemprego associado a “expulsar” pessoas por robôs.

Ao mesmo tempo, propõe-se substituir os diplomas escolares e cadernos de trabalho por “trajetórias de desenvolvimento pessoal” – um documento eletrônico que indica o tempo de serviço dos funcionários e estudantes.

Administração pública

Os órgãos do Estado estão entre os primeiros a recusar os operadores de papel a favor do digital, o que reduzirá o número de certificados e outras formas de relatórios.

Até 2019, o fluxo de trabalho digitalizado será colocado em servidores na nuvem. O lançamento de um projeto piloto sobre a análise de “dados amplos” e a tomada de decisões no domínio da gestão estadual e municipal está previsto para ocorrer em 2022.

Cidades inteligentes

A reconstrução de grandes cidades russas com a introdução de tecnologias digitais na gestão de recursos de energia e água começará em 2018. Há planos para lançar projetos de estacionamento automatizado e transporte público não tripulado. Uma lista específica de municípios, no entanto, ainda não foi anunciada.

Os residentes de assentamentos remotos com uma população de mais de 1.000 pessoas terão acesso à Internet de banda larga a uma velocidade de 100 Megabits por segundo, e as operadoras de telefonia móvel incentivarão a introdução de redes de quinta geração (5G).

O plano ainda prevê um sistema de informação, em que profissionais das áreas ligadas a tecnologias como TIs terão a disponibilidade um curso de atualização para que possam encontrar mercado de trabalho, evitando que sejam excluídos dessa nova era digital do país.

“Como resultado, devemos ter um ambiente digital completo. Ele ainda está em desenvolvimento. Não podemos dizer que estamos completamente à margem, como eles dizem que estamos. Nos últimos anos, demos um passo bastante sério, no entanto, esse movimento precisa ser acelerado significativamente”, disse o chefe do governo.

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment