Grande mídia está mal informada sobre Bitcoin

O aumento de preço do BTC levou a mídia a uma extensa publicação sobre a moeda, o triste disso é constatar que eles não buscam a verdade em suas publicações

Publicado em 11 de janeiro de 2017 por

Desde o aumento significativo do preço do Bitcoin nos últimos dois meses, o recurso digital ganhou atenção da grande mídia. Muitos deles têm sido bastante otimistas e descreveram a criptocorrência de uma forma positiva. No entanto, apenas recentemente algumas publicações tentaram, mais uma vez, jogar a existência do Bitcoin ao chão.

Os relatorios sobre a morte do Bitcoin são exagerados

A mídia tradicional sempre teve certa aversão ao Bitcoin. Nos primeiros dias, você poderia encontrar artigo após artigo detalhando a morte iminente dos ativos digitais. No entanto, ao ler esses editoriais opinativos, você pode ver pouco de viés de confirmação, falta de pesquisa e estupidez geral.

Publicidade

Publicidade

Recentemente, duas publicações principais, o Financial Times (FT) e a Time Magazine, publicaram dois artigos negativos sobre o recente aumento do preço do Bitcoin. O primeiro editorial escrito pela FT chamado “Bitcoin passa de US$ 1.000, mas o único número que importa é o ‘zero’”, basicamente, afirma que a criptografia é inútil.

O artigo em questão compara a economia do Bitcoin com outros mercados maiores em todo o mundo. Para o autor, esses mercados de liquidação tradicionais conseguem colocar a soma das operações Bitcoin “a zero”. Além disso, o escritor da FT descreve o Bitcoin como um esquema de pirâmide de tamanho significativo ou Ponzi.

“Como um fenômeno, o Bitcoin tem todos os atributos de um esquema de pirâmide, exigindo um influxo constante de conversos para elevar o preço, com base na promessa de seu uso por futuros convertidos”, explica o artigo FT. “Assim, o valor final para o Bitcoin será o mesmo que todos os esquemas de pirâmide: zero”.

Parece que o autor é muito mal informado em relação ao protocolo Bitcoin e sua comunidade. A verdade é que o Bitcoin tem sido chamado de Ponzi por muitas publicações da grande mídia e tem sido difamado diversas vezes. Até mesmo o Grupo do Banco Mundial refutou essa afirmação dizendo, “contrariamente a uma opinião amplamente detida, o Bitcoin não é um Ponzi deliberado. E há pouco a aprender tratando-o como tal”.

Além disso, não há nenhuma obrigação de converter as pessoas ao Bitcoin. O fato é que a criptografia está aumentando devido à oferta e à demanda naturais e aos maus efeitos da política monetária planejada centralmente, do banco de reservas fracionário, das taxas de juros manipuladas, da desmonetização, da hiperinflação e das moedas desvalorizadas. Estas são as verdadeiras razões pelas quais as pessoas estão investindo em Bitcoin.

Time magazine declara: “VOCÊ NÃO DEVE INVESTIR EM BITCOIN”

Em 5 de janeiro, a publicação Time Magazine publicou um post chamado “Por que você não deve investir em Bitcoin”. Este editorial em particular descreve o Bitcoin como uma moeda extremamente volátil, sem observar o fato de que as moedas dos Estados-nação e commodities também flutuam bastante. No entanto, o autor reconhece que o Bitcoin teve mais de 100% de retorno ao longo do ano passado. A publicação ainda cita Campbell Harvey, professor de finanças da Universidade de Duke, que diz que o Bitcoin é “um investimento extremamente arriscado”.

Junto com isso, o professor diz que se alguém for obter Bitcoin para seu portfólio, deve investir muito minimamente. “Eu nunca recomendaria investir apenas nisso”, explica Harvey. Por outro lado, o professor da Duke diz que os cidadãos que vivem no exterior, em nações como a Venezuela e a China estão o usando para escapar dos controles de capital e escassez de dinheiro. A opinião de Harvey diz que a ascensão recente do Bitcoin é devido a estes ambientes geopolíticos.

O Bitcoin não é um investimento, nem uma pirâmide ou ponzi, ele é uma ferramenta descentralizada. Muitos adeptos dirão que o Bitcoin não é um veículo de investimento e não deve ser descrito de tal maneira. Certamente haverão sempre algumas pessoas que acreditam que é e vão usá-lo como tal.

No entanto, nas opiniões de muitas pessoas, o Bitcoin é apenas uma ferramenta financeira que ajuda as pessoas dentro das economias pesadamente manipuladas em todo o mundo. Ultrapassa os controles de capital, é resistente à censura, custa menos do que os processadores tradicionais, mas, mais importante, coloca a riqueza de volta nas mãos do indivíduo.

A grande mídia e esses escritores têm dificuldade em conceituar esses atributos. Mas geralmente, é porque esses repórteres tem muito pouca compreensão do assunto que eles escrevem. É perfeitamente possível que jornalistas, como o repórter do FT, tenham acabado de ouvir falar sobre o Bitcoin e seu aumento dramático de preços, e pensam que estão chegando com um argumento “original”.

A maior questão é com a falta de pesquisa. Um relatório citando o Bitcoin como sendo um mau investimento não é bem pensado. Mesmo que a maioria dos adeptos da cripto diga que ele não é um investimento, o Bitcoin superou a maioria de moedas do mundo em todos os anos, exceto 2014. Finalmente, sem muito estudo, alguém poderia supor que a criptocorrência é um Ponzi, mas se pesquisassem mais, o que encontrariam lá é que existe literalmente “zero” evidência desta opinião.

Outro fator,  pode ser o medo que as pessoas e alguns governos têm de que o atual sistema financeiro caia. As pessoas estão acostumadas com ele, e em geral, os que mais lutam, são os que obtém lucros a partir dele, aqueles que levam boa parte de seu dinheiro suado, através de impostos e outros tributos.

Publicidade

Publicidade

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment