Hackers falsificaram DNC, McAfee diz que não era na Rússia

O especialista em segurança digital John McAfee acredita firmemente que a Rússia não estava envolvida no hack do Comitê Nacional Democrático.

Publicado em 14 de janeiro de 2017 por

O especialista em segurança digital e fundador do software antivírus McAfee, e CEO do MGT Capital Investments, John McAfee acredita firmemente que a Rússia não estava envolvida no hack do Comitê Nacional Democrático.

De acordo com o relatório de análise conjunta divulgado pelo FBI, o grupo de criminosos cibernéticos que supostamente hackearam o DNC usaram vários locais, além da Rússia, para violar os servidores do DNC. Na verdade, a maioria dos endereços de IP listados no relatório foram rastreados em todo o mundo fora da Rússia.

Publicidade

Publicidade

Pela variedade de endereços de IP, McAfee afirma que o grupo de hackers falsificou sua localização e eliminou quaisquer rastros de dados que poderiam delatar sua localização. É mais provável que uma organização de terceiros ou grupo tenha iniciado o ataque para criar controvérsia envolvendo o governo russo.

McAfee disse em uma entrevista com Larry King:

“Se eu fosse um chinês e quisesse fazer parecer que foram os russos que fizeram, eu usaria a língua russa dentro do código, eu usaria técnicas russas de invadir organizações. Simplesmente não há como atribuir uma fonte para qualquer ataque.”

O que o governo deveria realmente se preocupar é o “como”

Se foram os russos ou grupos de hackers independentes de todo o mundo que invadiram o DNC, não é necessariamente importante. Na realidade, é mais urgente avaliar a vulnerabilidade da infraestrutura de TI e as medidas de segurança deficiente das plataformas de propriedade do governo.

Até agora, o governo dos Estados Unidos e seus investigadores estão alocando seus recursos unicamente para desvendar os rostos por trás do hacking. Menos tempo foi gasto em analisar como o DNC foi comprometido em primeiro lugar e se o governo pode se defender diante de ataques semelhantes no futuro.

Casos como o hack do DNC estão empurrando a demanda por código fechado e tecnologias descentralizadas, onde a informação é seguramente mantida, transferida em um ecossistema descentralizado e processada de forma eficiente.

A dependência de servidores centrais para armazenar qualquer tipo de dados pode facilmente expor informações importantes a sofisticados ataques de hackers ou violações de dados.

Como resposta a vários casos controversos resultantes da manipulação de bancos de dados, instituições financeiras estão testando cada vez mais a tecnologia Blockchain para processar transações com segurança.

Eu gostaria de ver agora como fica a posição do Sr Barak Obama e do seu quase finado governo diante desse relatório, afinal ele expulsou os diplomatas russos por isso.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment