Hackers falsificaram DNC, McAfee diz que não era na Rússia

Como você sabe, recentemente o criador do antivírus McAfee Security, John McAfee, foi levado pelas criptomoedas. No verão passado, ele fez uma declaração anunciando que estava pronto para comer seu próprio pênis, se em três anos o preço da Primeira Moeda não chegasse a US$500 mil. McAfee decidiu não parar por aí e aumentou os riscos.

Publicado em 14 de Janeiro de 2017 por

O especialista em segurança digital e fundador do software antivírus McAfee, e CEO do MGT Capital Investments, John McAfee acredita firmemente que a Rússia não estava envolvida no hack do Comitê Nacional Democrático.

De acordo com o relatório de análise conjunta divulgado pelo FBI, o grupo de criminosos cibernéticos que supostamente hackearam o DNC usaram vários locais, além da Rússia, para violar os servidores do DNC. Na verdade, a maioria dos endereços de IP listados no relatório foram rastreados em todo o mundo fora da Rússia.

Publicidade

Publicidade

Pela variedade de endereços de IP, McAfee afirma que o grupo de hackers falsificou sua localização e eliminou quaisquer rastros de dados que poderiam delatar sua localização. É mais provável que uma organização de terceiros ou grupo tenha iniciado o ataque para criar controvérsia envolvendo o governo russo.

McAfee disse em uma entrevista com Larry King:

“Se eu fosse um chinês e quisesse fazer parecer que foram os russos que fizeram, eu usaria a língua russa dentro do código, eu usaria técnicas russas de invadir organizações. Simplesmente não há como atribuir uma fonte para qualquer ataque.”

O que o governo deveria realmente se preocupar é o “como”

Se foram os russos ou grupos de hackers independentes de todo o mundo que invadiram o DNC, não é necessariamente importante. Na realidade, é mais urgente avaliar a vulnerabilidade da infraestrutura de TI e as medidas de segurança deficiente das plataformas de propriedade do governo.

Publicidade

Publicidade

Até agora, o governo dos Estados Unidos e seus investigadores estão alocando seus recursos unicamente para desvendar os rostos por trás do hacking. Menos tempo foi gasto em analisar como o DNC foi comprometido em primeiro lugar e se o governo pode se defender diante de ataques semelhantes no futuro.

Casos como o hack do DNC estão empurrando a demanda por código fechado e tecnologias descentralizadas, onde a informação é seguramente mantida, transferida em um ecossistema descentralizado e processada de forma eficiente.

A dependência de servidores centrais para armazenar qualquer tipo de dados pode facilmente expor informações importantes a sofisticados ataques de hackers ou violações de dados.

Como resposta a vários casos controversos resultantes da manipulação de bancos de dados, instituições financeiras estão testando cada vez mais a tecnologia Blockchain para processar transações com segurança.

Eu gostaria de ver agora como fica a posição do Sr Barak Obama e do seu quase finado governo diante desse relatório, afinal ele expulsou os diplomatas russos por isso.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment