O hardfork na rede Bitcoin é inevitável? A resposta pode ser o BIP 91

Na quinta-feira, 27 de julho, iniciou-se o estágio de sinalização sobre o protocolo de Segregated Witness (SegWit, BIP 141).

Publicado em 19 de julho de 2017 por

Enquanto uma parte significativa da comunidade Bitcoin está preocupada com uma possível quebra na rede Bitcoin, os mineiros começaram a votar em apoio do BIP 91.

O BIP91 é uma versão modificada do plano SegWit2x, e as duas características principais desta solução são as seguintes:

Publicidade

Publicidade

Graças a isso, a rede pode adotar mais facilmente o Segregated Witness (SegWit) – um protocolo compatível com versões anteriores que permite aumentar a eficiência do bloco sem aumentar o tamanho do mesmo e também abre caminho para soluções offline como a Lightning Network ;

Se o BIP 91 for ativado antes de 31 de julho, ele irá substituir o BIP 148 – soft fork ativado pelo usuário, que também assume a ativação do SegWit, mas traz o risco de dividir a rede Bitcoin em varias blockchains.

Detalhes técnicos

Para uma melhor compreensão das características do BIP 91, é necessário retornar à decisão do SegWit2x, que foi apresentada em maio na conferência Consensus 2017 em Nova York. O SegWit2x é baseado no software do Bitcoin Core chamado BTC1 e, além de ativar o SegWit, também fornece um aumento no tamanho do bloco.

Publicidade

Publicidade

Poucas semanas após a assinatura do Acordo de Nova York, o engenheiro de garantia da Bitmain [não deve ser confundido com o fabricante chinês de equipamentos de mineração da Bitmain Technologies] James Hilliard propôs uma versão modificada do SegWit, oSegWit2x, cuja essência é reduzida a uma velocidade mais rápida e implementação confiável do SegWit sem a ameaça de dividir a rede em varias blockchains.

Ao escrever o BIP 91, duas outras propostas para escalar o Bitcoin foram levadas em consideração:

  • BIP 141 – o plano de ativação original da SegWit, introduzido pela primeira vez em novembro de 2016;
  • BIP 148 – publicado em março de 2017, esta decisão teve como objetivo impulsionar a implementação do BIP 141 através de softwares ativados por usuário (UASF).

Mas, mais importante ainda, o BIP 91 tornou-se uma alternativa para a redistribuição completa do BIP 141, cuja data de validade ativa é apenas em meados de novembro de 2017.

Em termos mais simples, a implementação do soft fork na rede Bitcoin exige que os mineiros incluam um Bit de sinal especial nos blocos extraídos, mostrando sua vontade de adotar novas regras. A versão original do Segwit2x exigiu a inclusão do quarto bit de sinal (bit 4) para suportar BIP 141, e foi aqui que o conflito surgiu, porque o código BIP 141 já estava registrado de forma a responder ao primeiro sinal Bit (bit 1).

Para ignorar este conflito, o BIP 91 usa um bit adicional que sinaliza a aceitação obrigatória do primeiro bit de sinal original. Consequentemente, não há necessidade de alterar a lógica de ativação do SegWit já existente.

Assim, o BIP 91 usa o mesmo método de implantação do BIP 141, mas com algumas diferenças importantes:

  • Os mineiros sinalizam não no primeiro, mas no quarto bit;
  • A ativação da solução exige apenas 80% do hash da rede (o plano SegWit original necessitava de um suporte em 95% do hash);
  • Ao contrário do BIP 141, o período de ativação é de 336 blocos em vez de 2016.

Ou seja, quando o nível de suporte dos mineiros atinge 80%, o BIP 91 é fixado e, após 336 blocos, ele é ativado de acordo com o mesmo esquema que o BIP 148 (UASF). Por esta altura, os mineiros terão que começar a usar o primeiro bit de sinal. Os blocos sem tal número serão rejeitados, ou seja, eles não cairão na rede de bloco geral.

Para evitar a separação da Blockchain, o primeiro bit de sinal deve usar pelo menos 51% dos mineiros. E, nesse momento, espera-se que a maioria deles suporte a ativação do BIP 91 através do quarto bit de sinal.

Um incentivo adicional para que os mineiros comecem a sinalizar em suporte ao SegWit através do bit 1 é que, de outra forma, eles realmente perderão a recompensa pelo bloco encontrado, que hoje é de 12,5 BTC.

Não haverá um hard fork?

Uma vez que a implementação do BIP 91 pode ocorrer antes de 1.º de agosto, antes da implementação do BIP 148 (UASF), a probabilidade da divisão da rede Bitcoin em várias blockchains é realmente eliminada. De muitas maneiras, isso também é possível devido ao fato de que o período de ativação da solução é reduzido para 56 horas em vez de 2 semanas, que são colocadas no BIP 141 original.

Assim, pode-se assumir, com determinada cautela, de que um determinado consenso foi realmente encontrado. A partir de segunda-feira, os mineiros começaram a votar ativamente em apoio do BIP 91, e até agora, o limite de suporte necessário de 80% foi atingido.

Gráfico BIP 91

Como pode ser visto no gráfico no site do XBT.eu, 80,5% dos últimos 144 blocos suportaram o protocolo BIP 91.

No momento da publicação, o número de grandes mineiros que ainda não suportam o BIP 91 inclui F2Pool, BitFury e Slush Pool, no entanto, os dois últimos já garantiram que é apenas uma questão de tempo.

O período atual, durante o qual os mineiros podem votar no BIP 91, começou nesta terça-feira no bloco 476.448 e, se 566 horas forem sinalizadas em apoio à essa decisão, a sua fixação será confirmada.

O provável consenso também teve um efeito positivo no preço do Bitcoin, que atingiu US$ 2400 nas últimas 24 horas.

No entanto, não devemos esquecer-nos da amarga controvérsia que durante os últimos meses abalou a comunidade e, na verdade, dividiu-a em vários campos de guerra. Provavelmente ainda é cedo para começar a cantar vitória e dizer aos quatro ventos que a rede do Bitcoin não corre mais nenhum risco. Agora, resta esperar e torcer para que tudo termine por aqui, e a Blockchain do Bitcoin siga seu caminho da mesma forma que começou.

 

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment