Horizonte dos eventos: o crescimento do mercado de criptomoedas em 2017

Assim, o ano de 2017 chegou ao fim, ele que, sem dúvida, foi um dos mais bem-sucedidos para toda a indústria de criptografia: muitas criptomoedas cresceram exponencialmente, houve um boom real da ICO e muitas pessoas começaram a se interessar por Bitcoin.

Publicado em 31 de dezembro de 2017 por

Assim, o ano de 2017 chegou ao fim, ele que, sem dúvida, foi um dos mais bem-sucedidos para toda a indústria de criptografia: muitas criptomoedas cresceram exponencialmente, houve um boom real da ICO e muitas pessoas começaram a se interessar por Bitcoin.

É hora de resumir alguns dos resultados e descobrir quais moedas valorizaram de forma mais dinâmica, quanto o mercado cresceu em geral, como as coisas estão com a volatilidade do Bitcoin e o que as previsões de especialistas apontam para o próximo ano.

Publicidade

Publicidade

Capitalização de mercado

A questão do significado econômico do conceito de “capitalização” é uma das mais controversas. Por um lado, a capitalização das moedas criptográficas é o produto da oferta pelo seu preço médio ponderado atual. Por outro lado, cada recurso digital tem seu próprio volume de emissão e sua própria política monetária e, portanto, comparar algumas moedas com outras em capitalização é um empreendimento bastante controverso.

Em nossa opinião, é possível – e até mesmo necessário – analisar a dinâmica da capitalização de mercado. Então, enquanto algumas moedas aparecem, outras desaparecem sem deixar vestígios ou caem em preço para valores indecentemente baixos. No entanto, o valor total do mercado como um todo está crescendo, e isso deve ser levado em consideração.

Isso significa que mais e mais pessoas estão interessadas em criptomoedas e entram nesse mercado, aumentando sua capitalização. O preço depende da demanda, o que significa que se não houvesse um interesse geral em ativos criptográficos, a capitalização dos mesmos não aumentaria tão dinamicamente.

Publicidade

Publicidade

Em 2017, surgiram novos fundos de hedge de criptomoedas. Em muitos aspectos, graças aos futuros lançados pelas corretoras CME e CBOE, mesmo os gigantes mais “endurecidos”, como Goldman Sachs e JPMorgan começaram a prestar atenção ao Bitcoin. Aqueles que “usam” Bitcoin, já não são mais apontados com frases estereotipadas sobre as “pirâmides financeiras”, pois no momento, o mercado financeiro como um todo já não percebe mais a moeda criptográfica apenas como uma “ferramenta para lavagem de recursos criminais”.

Assim, se no primeiro dia de 2017 a capitalização total do mercado totalizava apenas US$17,7 bilhões, até 29 de dezembro, esse valor havia ultrapassado US$592 bilhões.

Horizonte dos eventos: o crescimento do mercado de criptomoedas em 2017. BTCSoul.com

Dados: Coinmarketcap

Durante o ano, o mercado cresceu cerca de 33 vezes. Isso leva à ideia de que um bem diversificado e equilibrado portfólio de criptomoedas formado no início do ano traria bons lucros ao proprietário.

Durante este ano, a Primeira Moeda também cresceu rapidamente. Existe uma questão lógica: o que é mais vantajoso: manter o Bitcoin ou investir em um portfólio de criptomoedas cuidadosamente selecionadas?

Como foi o crescimento do Bitcoin em 2017?

Para o “ouro digital” este ano foi, talvez, um dos mais bem-sucedidos. O desenvolvimento da infraestrutura, o interesse dos investidores institucionais e das grandes massas, a implementação do SegWit e a legalização do Bitcoin no Japão são apenas alguns dos principais fatores por trás do crescimento do preço do ativo.

Se no começo do ano o Bitcoin finalmente bateu sua marca historia de 2013 com um valor de US$1.000, em meados de dezembro, a moeda testou ativamente a marca de US$20 mil e no momento da redação desse artigo, está sendo comercializada em cerca de US$14,5 mil (preços da Exchange Bitfinex).

Horizonte dos eventos: o crescimento do mercado de criptomoedas em 2017. BTCSoul.com

Dados: Coinmarketcap

O gráfico a seguir ilustra o quanto o Bitcoin cresceu em termos percentuais ao longo dos últimos seis meses, um, dois e cinco anos:

Horizonte dos eventos: o crescimento do mercado de criptomoedas em 2017. BTCSoul.com

Dados: CoinDance

Assim, uma oferta estritamente limitada e uma demanda exponencialmente crescente fazem milagres.

Comparando a dinâmica de crescimento do mercado como um todo e os preços do Bitcoin, em termos percentuais, os indicadores serão bastante relevantes. Consequentemente, em um portfólio equilibrado de risco/retorno, uma proporção significativa pode ser totalmente alocada em Bitcoin.

A tese de que entre todas as moedas criptográficas a do Bitcoin tem o sharpe mais alto se confirma na infográfica retirada do site woobull.com:

Horizonte dos eventos: o crescimento do mercado de criptomoedas em 2017. BTCSoul.com

Muitos economistas bem conhecidos e veteranos do mercado financeiro criticam o Bitcoin por sua alta volatilidade. No entanto, depois de estudar o quadro a seguir, pode-se concluir que ao longo do tempo, o intervalo médio de flutuações nos preços do ativo está reduzindo:

Horizonte dos eventos: o crescimento do mercado de criptomoedas em 2017. BTCSoul.com

Dados: buybitcoinwidewide

Atualmente, o Bitcoin é muito mais líquido que antes, e sua volatilidade não é muito maior que muitas commodities e moedas populares – aquelas geridas por bancos centrais.

Menos pessoas duvidam que a Primeira Moeda seja um atraente objeto de investimento. Por outro lado, os cripto-entusiastas não pensam somente nela: muitos estarão interessados ​​em saber como as altcoins mais líquidas cresceram em 2017, talvez, para incluí-las em seu portfólio.

Marcadores de crescimento entre altcoins

De acordo com os dados do serviço blocklink.info, o detentor absoluto do maior aumento de preços é o Ripple (XRP), que somente nesse ano cresceu mais de 24000% (a última coluna da tabela):

Horizonte dos eventos: o crescimento do mercado de criptomoedas em 2017. BTCSoul.com

Dados a partir de 29.12.2017

Além disso, observando a tabela, fica claro que DASH, Ethereum e Litecoin aumentaram substancialmente (embora com um grande atraso em relação ao XRP) em 2017. Esses ativos digitais já podem ser considerados “antigos” do mercado, pois eles são clientes tradicionais da classificação superior do Coinmarketcap.

Também vale à pena observar um detalhe interessante: todo o mercado (indicado na tabela como “Criptografia”) cresceu mais ativamente que o Bitcoin (3092% vs. 1397%). Também uma dinâmica muito boa em 2017 foi demonstrada pelo Monero e Ethereum Classic.

Entre outras coisas, os dados do Blocklink confirmam que, atualmente, os investimentos em moedas criptográficas são muitas vezes mais rentáveis que investimentos em ações das maiores empresas, incluindo Alibaba, PayPal, Amazon e Facebook.

Das “últimas descobertas” no mercado podem ser identificadas a criptomoeda Verge (XVG), cujo preço não excedia US$0,006 no início de dezembro, e atualmente, detém uma taxa de câmbio média ponderada de US$0,16.

É tarde demais para entrar neste mercado agora?

Muitos especialistas acreditam que o limite de crescimento do Bitcoin e outras criptomoedas ainda está longe. Em particular, nas perspectivas de crescimento a longo prazo do mercado, o analista da Fundtrat Global Advisors, Tom Lee, está confiante. Seu fundo compra regularmente Bitcoins durantes as quedas de preços, e o próprio Lee prevê um segundo teste de US$20 mil em meados de 2018.

A previsão menos conservadora para o Bitcoin é fornecida pelo investidor Mike Novogratz, que tem certeza de que no final do ano que vem, o “ouro digital” custará US$40 mil. Já o Ethereum, acredita o investidor, pode crescer cerca de três vezes mais.

Uma interessante previsão a longo prazo do chefe da pesquisa de ponta, Ronnie Moas, aponta que, graças ao “desequilíbrio deslumbrante da oferta e demanda”, o Bitcoin pode subir para níveis em torno de US$400 mil. Moas compara o ativo às ações da Amazon, que nos últimos 15 anos deve “manter” e comprar “no fundo”. Em agosto, ele sugeriu que a capitalização agregada em dez anos poderia crescer para US$2 trilhões.

Estou convencido de que o preço atual do Bitcoin não atingiu seu limite, disse o proprietário do Golden State Warriors clube de basquete.

O fundador da empresa de capital de risco Social Partnership Chamath Palihapitiya. Ele acredita que após três ou quatro anos, o Bitcoin vai superar a marca de US$100 mil, e em 20 anos pode custar um milhão de dólares.  Palihapitiya comprou Bitcoin por US$100.

Os irmãos Winklewos – primeiros bilionários de Bitcoin do mundo – têm certeza de que o BTC é capaz de crescer até vinte vezes e até mesmo substituir o ouro. Apesar do aumento múltiplo desde o início do ano, os gêmeos acreditam que o Bitcoin está apenas no início de “sua grande jornada”.

A perspectiva mais “alta” para o mercado da moeda criptográfica é fornecida pelo co-fundador da Breadwallet, Aaron Lasher. Ele acredita que em dez anos, a capitalização de mercado do Bitcoin chegará a cinco trilhões de dólares e que pelo menos 10 criptomoedas atingirão uma capitalização de US$25 bilhões cada uma.

Ao mesmo tempo, Lasher pede aos criptoentusiastas que não percam a vigilância, porque, juntamente aos touros, sempre há ursos capazes de exercer uma forte pressão no mercado.

Além disso, de acordo com Aaron, as criptomoedas podem servir como ferramentas úteis para diversificação de portfólio, instrumentos de hedge e/ou ativos com alto potencial de crescimento e riscos correspondentes. Tudo depende dos objetivos financeiros do investidor.

Sempre há pessimistas entre os especialistas que muitas vezes fingem ser “realistas”. Assim, no início de dezembro, o Saxo Bank publicou sua lista tradicional de previsões provocativas e chocantes para 2018, que prevê que em um certo ponto, o preço do Bitcoin excederá US$60 mil. No entanto, analistas creem veementemente que breve após esse fato, alguns países “vencerão o Bitcoin”. Como resultado, no início de 2019, o “ouro digital” cairá em preço para US$1.000.

Ao contrário do Saxo Bank, o fundo da Blocktower Capital parece ser muito mais otimista. Uma confirmação impressionante desta tese é a compra pelo fundo de uma opção de compra de 275 Bitcoins em US$ 50 mil dólares no final de dezembro de 2018. O prêmio pago pela opção é de um milhão de dólares.

Talvez, a eloquente previsão do CEO da MGT Capital Investments, John McAfee também tenha sido lembrada por muitos. Em julho, ele prometeu “comer seu pênis na TV”, se em três anos o preço do Bitcoin não atingir US$500 mil.

Após apenas alguns meses, ele aumentou as taxas, admitindo que em 2020, o “ouro digital” custará um milhão de dólares. Assim, o criador do antivírus McAfee provou ser um maximista convicto de Bitcoin que considera a Primeira Moeda o melhor investimento a longo prazo.

 

Chrys

Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Compartilhe!

Leave a Comment