IBM e AOS: uso de blockchain para rastreamento de veículos

Anunciada hoje, uma parceria entre a IBM e a AOS, fornecedora colombiana de soluções logísticas, demonstra o interesse das duas empresas em desenvolver uma blockchain  e uma solução em IoT para logística.

Publicado em 21 de junho de 2017 por

Anunciada hoje, uma parceria entre a IBM e a AOS, fornecedora colombiana de soluções logísticas, demonstra o interesse das duas empresas em desenvolver uma blockchain  e uma solução em IoT para logística.

A IBM Blockchain e a IBM Watson estão construindo uma blockchain para rastrear a proveniência e o status dos caminhões e seus produtos. A solução registra o tratamento de transações e informações sobre cargas para criar maior transparência no processo de entrega, de acordo com o diretor de inovação da AOS, Ricardo Buitrago.

“Ter o hardware, o software e o ambiente de nuvem certos é o que proporciona aos nossos clientes a proteção para assegurar que a blockchain é segura. Estamos analisando por todos os ângulos como podemos garantir o máximo possível e como podemos fazê-la com a maior integridade”, explicou Jorge Vergara, CTO da IBM Colômbia.

Como isso funciona?

Os caminhões estão equipados com etiquetas RFID que contêm dados do veículo, o nome do motorista e os detalhes de sua carga, de acordo com Buitrago.

Os sensores da IoT rastreiam a viagem desde o embarque, bem como a disponibilidade de espaço livre em um caminhão, e registra esses dados na blockchain para que todas as partes relevantes tenham acesso a esses dados.

De acordo com a IBM e a AOS, esse processo geralmente é feito manualmente, sendo mais lento e propenso ao erro. A blockchain fará com ganhem tempo ao passo que melhora a transparência de todo o processo de transporte.

Publicidade

Os caminhões terão códigos de barra, que estarão inseridos na blockchain e, com esse código, será fácil saber a localização do veiculo bem como sua carga ou disponibilidade no momento, facilitando assim a verificação de sua carga. A empresa também considera a possibilidade de registrar sinais de GPS na blockchain para registrar a rota dos veículos.

A solução se integra ao sistema Watson IoT da IBM para verificar fatores como o tempo e a temperatura, que podem afetar a viagem e o tempo de entrega estimado.

Dados difíceis

Calcula-se, por pesquisa de mercado, que a IoT em logística valerá mais de US$ 10 bilhões até 2020. Um relatório da Cisco e da DHL estimou que a IoT na logística e na cadeia de suprimentos gerará US$ 1,9 Bilhões em valor.

“Muitas vezes a empresa não tem acesso aos dados e números referentes às suas falhas, o que torna difícil corrigir qualquer erro de transporte. Com a implementação dessa nova tecnologia, a correção e as falhas de protocolos de transporte serão mais fáceis de serem rastreados”, disse Buitrago, acrescentando: “Conseguir essas informações é o maior benéfico que a nova solução trará para as operações de logística”.

Uma empresa se inscreveu para usar a nova solução até agora. AOS não quis informar o nome da empresa em questão, mas Buitrago disse que a implantação está prevista para julho. Por enquanto, a solução só estará disponível no mercado colombiano.

Chrys
Chrys é fundadora e escritora ativa do BTCSoul. Desde que ouviu falar sobre Bitcoin e criptomoedas ela não parou mais de descobrir novidades. Atualmente ela se dedica para trazer o melhor conteúdo sobre as tecnologias disruptivas para o website.

Leave a Comment